João Pessoa, 10 de junho de 2020 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista paraibano, sertanejo que migrou para a capital em 1975. Começou a carreira  no final da década de 70 escrevendo no Jornal O Norte, depois O Momento e Correio da Paraíba. Trabalha da redação de comunicação do TJPB e mantém uma coluna aos domingos no jornal A União. Vive cercado de livros, filmes e discos. É casado com a chef Francis Córdula e pai de Vítor. E-mail: kubipinheiro@yahoo.com.br

Doutora Paula não tem medo de fake news

Comentários:
publicado em 10/06/2020 às 15h22
A- A+

A barbárie das fake news tem vida mínima. São sempre desmascaradas. Face ao surgimento de algumas mentiras envolvendo a doutora Paula, mentiras dissimuladas que surgem do nada, de gente que não tem o que fazer e espalha ódio, dá pena. Muita pena.

A deputada doutora Paula responde no ato. Seus projetos sociais em defesa das minorias são assimilados pelos que entendem da velocidade de mudança, não por aqueles que vivem da histeria, desconhecidos idiotas, que tentam denegrir sua imagem e do seu marido, o prefeito de Cajazeiras, o médico José Aldemir. Coitados. Já dizia filosofo Sócrates, que existem pessoas que tomam o veneno pelo seu ódio e esperam que o inimigo morra.

Conheço a doutora Paula e fui acolhido por ela e suas irmãs (Dina, Nely, Fátima, Auxiliadora e Ana) em João Pessoa, quando aqui cheguei em 1975. Vim com três cartas na mão: uma de Mãe Velha (Iracy Lacerda, mãe dela), outra de meu pai, Vicente Pinheiro e a terceira de Antônio Conselheiro.

Conheço a médica Paula Lacerda Meireles de Almeida de muito tempo. Fomos paridos no mesmo chão sertanejo, Jatobá. Ela é inteligente e é hoje deputada, com o discurso evidente da atenção concedida por uma legião de eleitores e seguidores, que acreditam nos seus projetos. Queiram ou não, seu discurso chega ao grande público. Essa onda de fack news, ela tira de letra.

A doutora Paula tem seu palanque em plena pandemia, focada na ajuda aos mais necessitados e acometidos pela Covid 19. Aqueles que se escondem por trás dos ataques, fiquem certos, são chancelas sem validade. O tempo é agora e quem sabe, faz a hora, não espera acontecer, como canta o compositor paraibano.

Não somos virtuais, nem oportunistas, somos pé no chão. A doutora Paula tem suas redes sociais, onde são postadas suas posições, de livre acesso, pois, suas redes são abertas e é lá, nesse território da Internet, que divulgamos suas ações que avançam e passam por cima das fake news, do besteirol, das enganações e mentiras. E priu.

error: Alerta: Conteúdo Protegido !!