João Pessoa, 09 de janeiro de 2021 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
entrevista especial maispb

Vacina, beijos e abraços: os desejos de Diogo Nogueira

Comentários:
publicado em 09/01/2021 às 11h58
atualizado em 10/01/2021 às 08h56
A- A+

Kubitschek Pinheiro – MaisPB

Fotos – Guto Costa e Leandro Ribeiro

Essa é segunda vez que o artista Diogo Nogueira concede entrevista ao Portal MaisPB. No meio da pandemia, ele lançou a música “Princípio, Meio e Fim” e conversou com a gente. Agora temos um novo single “Bota pra Tocar Tim Maia”, que já está em todas as plataformas digitais. A canção é linda. Significativa homenagem de Diogo e a resposta do público é imediata cantando junto o refrão: “Bota pra tocar Tim Maia na playlist da caixinha/Dá o play no Azul Da Cor do Mar…”

A canção foi composta por Diogo Nogueira e mais quatro feras da nossa música: Rodrigo Leite e Cauique, os mesmos de “Pé Na Areia”, em parceria com Marcio Alexandre, atual integrante do Grupo Fundo de Quintal, e com o cantor e compositor carioca Marcelinho Moreira.

Aliás, “Pé na Areia”, já nasceu um clássico, parecia ter todos os ingredientes para ser um grande sucesso. E foi, ou melhor, ainda é o maior hit do cantor Diogo Nogueira, com mais de 60 milhões de views no YouTube.
A produção musical do novo single é de Rafael dos Anjos e Alessandro Cardozo, dupla que vem trabalhando com o Diogo desde “Munduê”, álbum 100% autoral, lançado em 2018. Bom demais. A música traz arranjo de Rafael dos Anjos para uma big band de samba com 17 músicos.

“Bota pra Tocar Tim Maia” tem suinge, letra, música e dança. É fácil, compreensível e mostra um balanço contagiante. É a cara de Tim Maia. E faz referência à música “Azul da Cor do Mar”, grande sucesso de Tim, que todo brasileiro sabe cantar, assim como é “Bota pra Tocar Tim Maia”.

Ousado e versátil, Diogo Nogueira não para. “Bota Pra Tocar Tim Maia”, primeiro single do repertório do projeto audiovisual “Samba de Verão” – gravado dentro de uma balsa num palco de 500m cenografado na Marina Center em Niterói, com a vista privilegiada do Rio de Janeiro e a silhueta dos morros da cidade ao fundo.

Com participações de Zeca Pagodinho e o Grupo Fundo de Quintal, o projeto terá ainda um momento especial de Diogo apresentando cinco partideiros da nova geração: Juninho Thybau, Mosquito, Gabrielzinho do Irajá, Mingo e Baiaco.

A outra novidade é que depois do enorme sucesso em suas lives mensais feitas de sua casa, que tiveram mais de 8 milhões de views, seu livro de culinária “Diogo na Cozinha” está indicado entre os 10 melhores livros de comida do mundo na categoria “Celebrity Chef – World” pelo Gourmand Internacional, maior premiação internacional de editoração de gastronomia e vinhos do mundo. A obra reúne 20 receitas que fazem parte do repertório e da história do artista, entre frutos do mar, aves, carnes, sobremesas, entre outras e está disponível em formato online.

Diogo está voltando a fazer shows presenciais aos poucos, com todos os cuidados recomendados e toda a criatividade para estar próximo aos fãs.

Em entrevista ao MaisPB, o artista fala da homenagem a Tim Maia, das retomadas dos shows, mesmo que para um público reduzido e da sua arte de saber cozinhar, herança de família, seu pai João Nogueira, também apreciava um bom prato. E comenta da alegria de seu livro “Diogo na Cozinha”, está selecionado entre os dez melhores do mundo na categoria “Celebrity Chef – World”, pelo Gourmand Internacional.

MaisPB – Depois do primeiro single “Principio, Meio e Fim”, agora você lança “Bota pra Tocar Tim Maia”, canção foi composta por você e mais Rodrigo Leite e Cauique, os mesmos de “Pé Na Areia”, em parceria com Marcio Alexandre, atual integrante do Grupo Fundo de Quintal, e com o cantor e compositor carioca Marcelinho Moreira. Vamos falar dessa canção tão bela?
Diogo Nogueira – Essa música já nasceu com uma sensação de todos que iria cair no gosto das pessoas e não deu outra. Mesmo tendo sido lançada há tão pouco tempo ela já tem uma força enorme. Outro dia cantei em um show presencial e na segunda vez que cantei a galera já embalou no refrão junto comigo. Então: Bota pra tocar Tim Maia.

MaisPB – Como veio a ideia de homenagear Tim Maia?
Diogo Nogueira – Na hora de compor as ideias vão surgindo e Tim Maia é um ícone de todas as gerações. Falamos da praia, do mar, do azul do mar, da vontade de colocar todo mundo para dançar e daí veio a expressão “bota pra tocar Tim Maia”.

MaisPB – E as retomadas dos shows com Pra Todo Mundo Sambar. Como foi Diogo Nogueira ao vivo no Vivo Rio?
Diogo Nogueira – Foi uma alegria e aconteceu antes da chegada dessa chamada “segunda onda”. Retornar ao palco com o público presente foi, como eu diria, uma benção, uma coisa que estávamos todos desejando. Poder ver o público olho no olho, sentir o carinho das pessoas, a energia é muito boa. E com todos os cuidados possíveis para que fosse uma noite alegre e sem riscos para todo mundo, com o todo o distanciamento necessário.

MaisPB – Como é cantar para um público reduzido?
Diogo Nogueira – Neste momento é o que é possível, mas ao mesmo tempo é tudo de bom! Estar ao vivo e a cores com meu público é sempre maravilhoso e renova as energias.

MaisPB – Durante as lives que tiveram mais de 8 milhões de views, você começou a lançar receitas que viraram um livro Diogo na Cozinha. Vamos falar dessa novidade que me parece é uma arte que vem da família?
Diogo Nogueira – Verdade, acho que esta coisa de gostar de cozinhar vem do meu pai e da minha mãe e de toda a família. Aprendi vendo meu pai fazer os pratos dele desde criança e ficava ao lado também da minha mãe na cozinha, cortando cebola, essas coisas. Acho que veio daí este meu envolvimento com a comida. Sempre cozinho em casa, quando tenho tempo, para amigos, pra família ou pra mim mesmo. E neste período de isolamento aproveitei e me dediquei um pouco mais à culinária, cozinhando bastante e testando receitas. Gosto de verdade de ir pro fogão e preparar um prato especial, com receita minha, do meu jeito. E a idéia do livro surgiu num destes momentos, quando percebi que já tinha um bom número de receitas já testadas por mim e anotadas.

MaisPB – “Diogo na Cozinha”, está selecionado entre os dez melhores do mundo na categoria “Celebrity Chef – World”, pelo Gourmand Internacional. Como você recebeu essa notícia?
Diogo Nogueira – Fiquei surpreso porque nunca imaginava concorrer a prêmio de culinária. Não conhecia o prêmio e me senti honrado em estar entre tantos chefes maravilhosos. Sempre gostei de cozinhar, desde criança a cozinha faz parte da minha vida, com minha mãe e meu pai, como te disse. E também adoro comer. Então, além da alegria de lançar o livro digital com minhas receitas preferidas, receber esta indicação ao prêmio foi muito especial.

MaisPB – Essa premiação vai acontecer online, tem data marcada?
Diogo Nogueira – Não sei se será online agora que está chegando a vacina. Vamos ver como seguem as coisas. Vai ser anunciado em Paris entre 1 a 6 de junho de 2021.

MaisPB – Qual a melhor receita de seu livro, pelo a menos a que você sempre faz em casa?
Diogo Nogueira – Difícil escolher uma receita, mas a minha moqueca de frutos do mar tem 100% de aprovação.

MaisPB – Como foi cantar o single “Principio, Meio e Fim”, pela primeira vez para o público?
Diogo Nogueira – Foi emocionante ver a emoção e o envolvimento imediato do público com a música. Neste momento falar de esperança e fé é tudo que precisamos.

MaisPB – Já tem outras apresentações programadas?
Diogo Nogueira – Graças a Deus minha agenda anda bem cheia. Tenho feito lives fechadas para empresas, shows em lugares com público reduzido. No momento estamos focados no projeto “Samba de Verão”, que será lançado em janeiro de 2021, e esperando tudo ficar mais claro pra gente poder montar a nossa turnê.

MaisPB – Até o final do ano os fãs vão poder desfrutar do DVD “Samba de Verão?
Diogo Nogueira – Por enquanto todos já podem curtir o clipe de “Bota pra tocar Tim Maia”, que foi gravado numa balsa, no mar, e com o visual das montanhas do Rio de Janeiro como cenário. Pode ir lá no YouTube, se inscrever no meu canal e assistir ao clipe.

MaisPB – E o show em Fortaleza no Projeto Marina Al Mare” como aconteceu, foi bom o resultado?
Diogo Nogueira – Foi sensacional e para mim é como um case, um show para dar de exemplo de como pude trabalhar na pandemia. A ideia do Hotel Marina foi fantástica e é uma demonstração da criatividade e competência dos brasileiros para sempre dar um jeito de não deixar a peteca cair. Estou ficando expert em cantar em cima de balsas (risos).

MaisPB – Você disse que “o palco é sempre o palco”. É no palco que você sente a presença de Deus?
Diogo Nogueira – Sim, é onde encontro a paz e onde me conecto com uma força divina, que me faz cantar, me emocionar e emocionar as pessoas.

MaisPB – O que podemos esperar para 2021?
Diogo Nogueira – A vacina, a volta à vida normal, do abraço apertado, do beijo sem medo, de reencontrar os amigos e a família.

error: Alerta: Conteúdo Protegido !!