João Pessoa, 10 de novembro de 2021 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo. Ocupou por três mandatos o cargo de membro do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Diretor Institucional do SINTUR-JP de 1993 a 2016. Consultor em Administração e atual presidente da Academia Paraibana de Ciência da Administração. E-mail: admmariotourinho@gmail.com

Ainda o “transporte clandestino” x DER-PB, SEMOB-JP, STTP-CG

Comentários:
publicado em 10/11/2021 às 12h45
atualizado em 11/11/2021 às 13h18
A- A+

O artigo anterior, que titulamos de “As ações municipais frente ao transporte legal x transporte ilegal”, alcançou muito boa repercussão, em especial junto a operadores (incluindo os trabalhadores) do transporte público legal (repita-se: “transporte público legal”, aquele que tem de obedecer as regras governamentais, portanto tendo de cumprir horários e disponibilizar os respectivos veículos, 24 horas por dia, tenha ou não tenha passageiros suficientes para transportar).

Como naquele texto – e com base em informações dos próprios trabalhadores do transporte público legal, um deles funcionalmente vinculado à SEMOB-JP – mencionamos nada menos do que 13 destacados pontos do “transporte clandestino” no âmbito da cidade de João Pessoa (Lagoa, Rodoviária, General Osório, Mercado Central, Alto do Mateus, Bairro das Indústrias, Praia da Penha, Praia do Sol, Mercado de Mangabeira, Mangabeira Shopping, Terminal 301 de Mangabeira, Praça do Valentina, Avenida Cruz das Armas), mais nos chamou a atenção uma mensagem “whatsapp” que dizia: “A situação do transporte legal, Dr. Mário, é muito grave. Se até o transporte clandestino – que nem paga impostos – precisaram aumentar o preço da tarifa deles, imagine como se encontram as empresas de ônibus, as legais, cujas tarifas não têm reajuste desde janeiro de 2020!”.

Disse mais: – “É bom ressaltar que o segmento empresarial, para manter seus compromissos financeiros com folha de pagamento de seus inúmeros funcionários, com INSS, com impostos (municipais, estaduais e federais), com aquisição de combustíveis que o preço está absurdo, essas empresas legais só têm a tarifa dos passageiros para fechar a conta (que não está fechando), inclusive para obter o lucro devido e investir na renovação da frota! Ora!… Como vai renovar a frota se essa conta não fecha?!…”.

E aí ao mesmo emitente do “whatsapp” perguntamos qual a “tarifa” do transporte clandestino que ele dissera ter aumentado. Respondeu: – “Os clandestinos de Santa Rita, para João Pessoa, cobravam R$ 5,00. Agora cobram R$ 6,00. E a tarifa do ônibus é só de R$ 4,35”.

Este assunto merece e precisa ser bem refletido, especialmente por órgãos públicos desse setor como o DER-PB, SEMOB-JP, STTP-CG, daí no título destes escritos a menção aos mesmos.

* Os textos dos colunistas e blogueiros não refletem, necessariamente, a opinião do Portal MaisPB

MaisTV

Hora H: no cardápio das alianças de 2022, a salada das incoerências

EDITORIAL - 28/01/2022

Opinião

Paraíba

Brasil

Fama

mais lidas