João Pessoa, 08 de abril de 2021 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Professora Emérita da UFPB e membro da Academia Feminina de Letras e Artes da Paraíba (AFLAP]. E-mail: reginarodriguez@uol.com.br

Olhando para o Brasil

Comentários:
publicado em 08/04/2021 às 07h23
A- A+

Não me canso de olhar para o meu país. O olhar do senso comum para os últimos acontecimentos, a politicagem brasileira nos deixa atônitos de como agem os homens públicos e seus partidos. Nem parece que estamos numa pandemia que se alastra por todo Brasil. Há de se perguntar: o que está expresso na política? Ideologia? Poder?
Na academia apreende-se que toda política transparece a ideologia dos ideais e doutrinas a serem seguidos por filiados. Empiricamente a ideologia é o conjunto de ideias e pensamentos de um individuo ou grupo que traduz ações sociais, politicas e econômicas. É instrumento de dominação e atua por meio de persuasão e convencimento sem usar a força física e muitas vezes alienando a consciência humana. Tudo gira em torna política. E a população?
Teóricos como Gramsci, Althusser e Paulo Freire possuem concepções diferentes. Nos primórdios destacam-se Hegel e Karl Marx (1818–1883)–materialismo dialético, ligava a ideologia aos sistemas teóricos (políticos, morais e sociais) criados pela classe dominante para controlar a sociedade. Notabiliza-se por ideias vinculadas a um lugar, contexto ou áreas do conhecimento, tais como: religião, política, jurídica, filosófica, sociológica, gênero ou representam uma doutrina: fascista (Alemanha e Itália 1930), comunista (Rússia 1917), democrática (Grécia Século V a.C.), capitalista, conservadora, anarquista e nacionalista. Nesse sentido, haverá sempre uma classe dominante (hegemônica) e uma dominada (subordinada).
Nelas se encontram embutidas um pensamento e formas de comportamento que devem ser adotados por seus seguidores. O discurso elaborado tanto pode transformar como reproduzir as relações de poder.
Ao olhar o Brasil de agora devastado e o que se faz em nome da democracia, fica difícil perceber nos políticos a representação dos ideais almejados pelo povo e por eles, defendidos? Os avanços da pandemia são assustadores.
O avanço da tecnologia nos permite acompanhar a atuação do parlamento. O que se percebe? É a gana desenfreada pelo poder e a distorção dos princípios morais, da ética e do decoro indo de encontro ao que preconiza a construção da cidadania.
Essa classe se diz a elite. E aí? O bem público como fica? Onde encontrar a ideologia? Onde fica as prioridades da Nação, que no momento perde a guerra para a Covid 19?

* Os textos dos colunistas e blogueiros não refletem, necessariamente, a opinião do Portal MaisPB

error: Alerta: Conteúdo Protegido !!