João Pessoa, 08 de novembro de 2019 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
ENQUETE MAISTV

Na PB, comentam fim de prisão de condenados

Comentários:
publicado em 08/11/2019 às 15h43
atualizado em 08/11/2019 às 18h53
Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF)

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), de que réus não podem ser presos após condenados em 2ª instância, é o assunto que está na boca do povo e debatido nas rodas de conversas desde a conclusão do julgamento ma tarde dessa quinta-feira (7) no STF.

Em João Pessoa, não é diferente. Há os que concordam com o posicionamento da maioria dos ministros, mas também acreditam que o resultado poderia ter sido o contrário.

A MaisTV, canal de vídeo do Portal MaisPB, foi as ruas de ouviu diversas opiniões sobre o novo entendimento jurídico no Brasil.

“Eu mesmo concordo que esse caras sejam soltos. Porque fica até mais barato do que eles estando presos”, ironizou o aposentado Ricardo Lins.

Da mesma forma pensa o servidor público Pedro Ferreira.

“Eu acho que enquanto houver recurso, a defesa tem que ir até o final. Porque em segunda instância fica uma dúvida. Então, para que não fique essa dúvida é necessário que o condenado tenha sua defesa até a última instância”, destacou.

Já o taxista Ricardo Lins classificou como uma decisão “errada” dos ministros deixar para que os condenados só sejam presos após julgados em última instância.

“É um absurdo uma situação como esta. O cara faz todo tipo de sacanagem e só pode ser detido após julgado em última instância”, afirmou.

A servidora pública Margareth Nicolau atribui a decisão dos ministros a um processo para libertar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.  “Para tirar um ladrão da prisão, condenaram uma nação, por causa de Lula”, destacou.

O comerciário Josivaldo Francisco defendeu prisão para os condenados em segunda instância.

“Eu achei a decisão errada porque todo preso na 2ª instancia deve ser punido e preso até o julgamento final do processo”, afirmou.

Veja vídeo

MaisPB

Certificado digital mais barato para advogados e contadores Clique e saiba como adquirir

Leia Também