João Pessoa, 20 de outubro de 2021 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Hildeberto Barbosa Filho

Poeta, escritor e professor da UFPB. Membro da Academia Paraibana de Letras. E-mail: hildebertopoesia@gmail.com

    20/10/2021
  • 07h02 COLUNA - Hildeberto Barbosa Filho

    Loucos líricos

    Parece estranho, mas é verdade: sempre gostei dos loucos. Dos loucos de todo gênero, na curiosa classificação do caduco Código Civil de 1916, aquele mesmo que pôs Clóvis Beviláqua,... Continuar Lendo

  • 13/10/2021
  • 07h12 COLUNA - Hildeberto Barbosa Filho

    Beber…

      Se for dirigir, não beba; se for beber, me chame! Adoro este slogan, pois, desde rapazola, fui sempre dado a bebidas. Não sou dos que pensam que beber... Continuar Lendo

  • 06/10/2021
  • 08h23 COLUNA - Hildeberto Barbosa Filho

    Morrer é preciso

    A morte é um fenômeno natural, uma ocorrência cotidiana, uma experiência da qual ninguém escapa. Há nela, portanto, um princípio de igualdade que se sobrepõe às diferenças e distorções... Continuar Lendo

  • 29/09/2021
  • 07h54 COLUNA - Hildeberto Barbosa Filho

    O futebol e seus derivados

      O futebol ultrapassa, sim, os limites dramáticos de uma simples partida. E é por isto mesmo que o apaixonado pelo espetáculo do tapete verde não só se interessa... Continuar Lendo

  • 22/09/2021
  • 07h32 COLUNA - Hildeberto Barbosa Filho

    Um pouquinho de poesia

      Poesia é quando a pedra é pluma, e a pluma é pêssego, e o pêssego é pássaro, e o pássaro é ponte entre o poleiro e o canto.... Continuar Lendo

  • 15/09/2021
  • 08h04 COLUNA - Hildeberto Barbosa Filho

    Vou por aí

      Na Praça do Meio do Mundo, descendo a Serra da Borborema, corto à esquerda e adentro a larga estrada dos Cariris. Dirijo a cem quilômetros por hora, ao... Continuar Lendo

  • 08/09/2021
  • 07h27 COLUNA - Hildeberto Barbosa Filho

    Lembranças, nada mais

    “A flor do meu bairro ∕ tinha o lirismo da lua”, cantava Nelson Gonçalves (foto), pela difusora do Bairro da Liberdade, na Serra da Borborema, sempre às tardes de... Continuar Lendo

  • 01/09/2021
  • 07h33 COLUNA - Hildeberto Barbosa Filho

    Mulheres

    Existem as hegelianas. São raras como a verdade filosófica. As que só leem Montaigne e gozam depressa, com tédio e sem viagens. Não gosto muito das que dormem com... Continuar Lendo

  • 25/08/2021
  • 07h35 COLUNA - Hildeberto Barbosa Filho

    Toda poesia é erótica

      Dinarte Bezerra, professor do curso de Comunicação Social da UFPB, convida-me para participar de uma mesa redonda sobre Literatura e Erotismo, em seminário sob a sua coordenação. Pede-me... Continuar Lendo

  • 18/08/2021
  • 07h35 COLUNA - Hildeberto Barbosa Filho

    A lavoura das palavras

    Ontem fui arar o roçado das palavras à cata de semear a lavoura das ideias, mas não plantei nem colhi nada, pois o tempo é de seca nos cariris... Continuar Lendo

  • 11/08/2021
  • 07h13 COLUNA - Hildeberto Barbosa Filho

    Vá ao Bar do Arante!

    Se você for a Florianópolis, não deixe de visitar o Bar do Arante, na Praia do Pântano do Sul, para tomar uma cachacinha e saborear uma tainha das melhores,... Continuar Lendo

  • 04/08/2021
  • 07h23 COLUNA - Hildeberto Barbosa Filho

    Ler e não compreender!

    Não, não sou Tomás de Aquino, a quem Deus deu o dom de compreender cada página que lia. Leio muito, é verdade, e desde a primeira infância, já mergulhado... Continuar Lendo

  • 28/07/2021
  • 07h47 COLUNA - Hildeberto Barbosa Filho

    Dedicatórias

    Conta Álvaro Lins, num de seus artigos do “Jornal de Crítica”, que adquiriu um volume de “O canto da noite”, do poeta Augusto Frederico Schmidt, exclusivamente pela dedicatória, que... Continuar Lendo

  • 21/07/2021
  • 07h47 COLUNA - Hildeberto Barbosa Filho

    Os livros e suas listas

    Ninguém escapa à utilidade de uma lista. A lista alimenta o desejo de impormos alguma ordem ao caos da vida e as oferendas existenciais que a realidade nos proporciona... Continuar Lendo

  • 14/07/2021
  • 07h37 COLUNA - Hildeberto Barbosa Filho

    Aconchego, Bar!

    Quadros toscamente emoldurados e expostos em paredes rudes. Todos do Flamengo. Alguns lembrando a glória de vários campeonatos. Ao fundo, a rasgada e aberta poesia da bandeira rubro e... Continuar Lendo