João Pessoa, 26 de janeiro de 2022 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo. Ocupou por três mandatos o cargo de membro do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Diretor Institucional do SINTUR-JP de 1993 a 2016. Consultor em Administração e atual presidente da Academia Paraibana de Ciência da Administração. E-mail: admmariotourinho@gmail.com

Pedro Cunha Lima: como o povo o quer?!… Governador?!… Ou Deputado?!…

Comentários:
publicado em 26/01/2022 às 06h30
A- A+

Foi no dia 25 de novembro recente que pessoalmente estive com o deputado federal Pedro Cunha Lima, isto em um evento acontecido na sede do CRA-PB (Conselho Regional de Administração da Paraíba). E em seguida fiz publicar artigo em que destaquei quão impactante foi seu pronunciamento naquela ocasião, tendo ele chamado a atenção sobre a PEC (Proposta de Emenda à  Constituição) por ele apresentada na Câmara Federal, subscrita por mais 172 deputados (PEC 147/2019) e que ganhou o apelido de “PEC dos penduricalhos” porquanto objetiva pôr um fim aos chamados auxílios creche, mudança, livro, saúde, alimentação ou qualquer outro “benefício dessa natureza” destinados a agentes públicos que recebam remuneração acima de 1/4 da percebida por ministro do STF.

Anteriormente eu já havia estado com o deputado Pedro, daquela vez eu ainda no exercício da presidência da Academia Paraibana de Ciência da Administração (APCA) e foi para com ele avaliar a possibilidade, através dele, de trazer a João Pessoa a deputada federal Tábata Amaral para uma palestra ao ensejo da passagem da data correspondente ao Dia da Educação. E já a ele confessava quanto à minha grande admiração face ao seu desempenho como representante da Paraíba na Câmara Federal, de tal forma que em um encontro casual com o ex-senador Cássio Cunha Lima eu a ele afirmei que, em meu pensar, a Paraíba “está agora com um parlamentar melhor que o próprio Cássio… e seu  nome é Pedro Cunha Lima”! Claro que Cássio, após instantes de expectativa, abriu um largo sorriso de regozijo!

Com estes “considerandos” e tendo em vista recentes notícias de que Pedro Cunha Lima poderá ser um candidato a governador do estado nas eleições de outubro deste ano, torno público ter ficado apreensivo diante dessa possível candidatura, isto por avalia-la como de difícil êxito contra o atual governador João Azevedo que, apesar de “novato” na política, tem bem se articulado com todos os segmentos desse campo e realizado uma gestão muito bem avaliada pelos diversos segmentos sociais, tendendo repercutir ainda mais com as recentes medidas relacionadas ao reajuste dos servidores públicos, afora o fato de que nestes três anos de governo sempre efetivou o pagamento da folha de pessoal dentro do próprio mês. E isto tem muito peso, especialmente em um tempo de pandemia que, sem dúvida, abalou a economia e consequentemente as finanças.

Coloco-me, pois, junto a todos aqueles que não querem deixar de ter Pedro Cunha Lima como um de seus representantes na Câmara Federal, cuja reeleição demonstra-se bem factível. E assim, nessa condição  de deputado federal, ele – Pedro Cunha Lima – terá o espaço próprio para não deixar de insistir na aprovação da “PEC dos penduricalhos”, tão necessária neste Brasil de tantas distorções, sobretudo no âmbito do serviço público, especialmente nas esferas do judiciário e do legislativo. A propósito, naquele evento do dia 25 de novembro, no CRA-PB, o próprio Pedro Cunha Lima também mostrou e denunciou a absurda distorção de uma Assembleia Legislativa, como a da Paraíba, constituída de 36 representantes, contar com um orçamento maior que de uma universidade, como a UEPB, que conta com cerca de 22 mil alunos. Ou seja: Pedro Cunha Lima, continuando deputado federal, poderá não só insistir e conseguir a importante aprovação da “PEC dos penduricalhos”, de sua autoria, como também muito e muito contribuir para que o Brasil não se desqualifique parlamentarmente mais do que o nível que atingiu, conforme avaliações apontadas em pesquisas sociais bem acreditadas pela opinião pública.

Eu, no lugar dele, só com seus 33 anos e sendo político não por simples busca de poder, mas para ver o povo beneficiado, deixaria a candidatura para governador lá mais pra frente, e não agora em um tempo em que o “governante de plantão” deve estar sendo avaliado pelo próprio Pedro como de desempenho satisfatório, embora não o possa dizer publicamente.

* Os textos dos colunistas e blogueiros não refletem, necessariamente, a opinião do Portal MaisPB

MaisTV

Sem água, moradores de Santa Rita fecham rodovia

GRANDE JOÃO PESSOA - 13/05/2022

Opinião

Paraíba

Brasil

Fama

mais lidas