João Pessoa, 15 de outubro de 2021 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Clara Velloso Borges é poeta, escritora e professora de Literatura, com graduação em Letras pela Universidade Federal da Paraíba. É também concluinte do bacharelado em Direito. E-mail: claravellosob@gmail.com

Brincadeira de criança

Comentários:
publicado em 15/10/2021 às 07h02
A- A+

Na semana das crianças, não haveria como a presente coluna se distanciar do universo infantil. Afinal, o apreço pela leitura deve, preferencialmente, ser despertado na infância. Crianças que leem desenvolvem melhor suas habilidades de linguagem, comunicação, empatia e criatividade. Além disso, a leitura ajuda a manter o foco e a concentração, aptidões que vêm encontrando cada vez mais obstáculos após a imposição de inúmeras telas na nossa rotina.

No Brasil, há uma gama saborosa de leituras destinadas ao público infantil. Ruth Rocha, (foto) aos 90 anos, continua produzindo literatura para os pequenos e observa que nós, adultos, passamos a ouvir mais as crianças. Seu maior sucesso, Marcelo, Marmelo Martelo, é uma obra que continua cativante mesmo quase 50 anos após sua publicação. Se o gosto das crianças não mudou tanto, os adultos têm tentado passar mensagens mais sólidas em suas narrativas: nas edições mais recentes das revistinhas da Turma da Mônica, por exemplo, existe uma preocupação em ratificar que meninas e meninos podem fazer o mesmo trabalho, sem qualquer distinção de gênero.

Embora literatura infantil seja tratada como um gênero único, há todo um universo de categorias que cabe dentro dele. Bebezinhos podem ser cativados por Muito cansado e bem acordado, uma história sobre vários animais que não conseguem ficar parados na cama para dormir. Outras crianças podem gargalhar com Jacaré, não!, do cronista Antônio Prata, que insere um réptil no cotidiano de uma garotinha, provocando situações absurdas. Para as crianças maiores, fãs de fantasia, há como ser hipnotizado por O Dragão de Gelo, livro infanto-juvenil sobre um dragão lendário e indomável, criado pelo autor de Game of Thrones.

Sempre haverá uma história que cative as crianças – basta experimentar. Muitos incentivam ler para uma criança, mas prefiro sugerir que se leia com uma criança. Quando o adulto se propõe a ler para uma criança, ele é só o instrumento da narrativa. Quando lê com ela, entretanto, pode imaginar também. Não é esse o maior atributo de um leitor de qualquer idade?

* Os textos dos colunistas e blogueiros não refletem, necessariamente, a opinião do Portal MaisPB

MaisTV

Clientes aproveitam descontos da Black Friday em João Pessoa

Promoções - 26/11/2021

Opinião

Paraíba

Brasil

Fama

mais lidas