João Pessoa, 06 de fevereiro de 2021 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
MÚSICA

Entrevista: Hamleto Stamato lança CD autoral

Comentários:
publicado em 06/02/2021 às 12h00
atualizado em 06/02/2021 às 12h49
A- A+

Kubitschek Pinheiro –  MaisPB

Fotos de Marina Stamato

A novidade é o lançamento físico e digital do CD “Autoral” do  pianista Hamleto Stamato,  o primeiro só com composições dele, que traz  temas inéditos e regravações, cheios de ritmos brasileiros. O disco é todo instrumental, com exceção de “Cris”, uma  bela canção em ritmo de Bossa Nova, que ganhou letra nesta regravação e que o próprio Hamleto canta.  Seu primeiro trabalho solo, o “Speed Samba Jazz” é de 2003 e veio  junto a uma série de cinco CDs (Delira Música). Em 2009,  ele gravou o seu primeiro DVD, Gafieira Jazz e em 2016 homenageou o pai, Mileto, que nos deixou, em 1976, ( o grande músico paulista Hamleto Stamato Sobrinho, saxofonista e flautista conhecido como Mileto no meio musical e integrante das bandas de Hermeto Pascoal e Martinho da Vila na década de 1970). O disco de  Stamato chama-se  “Tributo  a Mileto”.

O novo trabalho traz  participações de grandes músicos brasileiros e da orquestra russa  St. Petersburg Studio Orquestra, que tem regente brasileiro. O disco foi gravado no Brasil e na Holanda, países onde Hamleto reside atualmente. Lançamento independente, com distribuição da Tratore.

“Autoral” é o um trabalho intenso para se ouvir muitas vezes. Além de regravações, o repertório apresenta as inéditas “Lambassa” e “Bodas”.

Um pouco mais sobre o artista  

Filho do saxofonista e flautista homônimo, que integrava a banda de Hermeto Pascoal, Hamleto formou-se Bacharel em Música pela Universidade Estácio de Sá no Rio de Janeiro e fez cursos de aperfeiçoamento técnico com os  professores Luiz Antonio Gomes, Sônia Maria Vieira e curso de harmonia e arranjo com o Maestro Vittor Santos.

Iniciou sua trajetória profissional no final dos anos 80 e desde então é reconhecido como um dos mais promissores pianistas de sua geração, tendo tocado com ícones como Claudia Telles, Tim Maia, Danilo Caymmi, Rosa Passos, Pery Ribeiro, Marisa Gata Mansa, Leny Andrade e Raul de Souza.

Com inúmeras apresentações e shows no exterior, e grandes produções em estúdio, vem projetando seu nome em diversas áreas, inclusive como arranjador e produtor. Em 2005, foi produtor musical e arranjador do programa Fama 4, da Rede Globo e trabalhou no programa Estação Globo como pianista e arranjador de 2006 a 2009.

Em 2003, lançou seu primeiro trabalho solo, o Speed Samba Jazz que logo se transformaria em uma série de cinco CDs (Delira Música); em 2009, gravou o seu primeiro DVD, Gafieira Jazz; em 2016 gravou um CD em homenagem ao seu pai intitulado Tributo a Mileto, em 2018 lançou pela Fina Flor o CD  Ponte Aérea e em 2020 lança seu mais recente trabalho,  Autoral.

Em entrevista ao Portal MaisPB, o músico nos conta o desenvolvimento do álbum, que teve que ser interrompido pela pandemia de coronavírus, mas o isolamento não o impediu de concluir o projeto, que foi produzido e gravado remotamente.

MaisPB – Esse disco parece uma festa, uma orquestra tocando junto com o pianista. Estou certo?

Hamleto Stamato – Quando escolhi o repertório para o CD não tive essa intenção, apenas pensei em reunir as minhas composições em um único CD. Desde o meu primeiro CD  venho inserindo composições minhas, mas apenas duas em cada disco. Fiz uma coletânea das minhas composições mais significativas até 2009, algumas foram compostas para o meu DVD gafieira jazz, por isso  a sensação de “festa” o que também é muito bom, pois as pessoas estão precisando de estímulos para se sentirem bem nesses tempos que estamos passando.

MaisPB – É fruto da pandemia?

Hamleto Stamato – Não era a ideia inicial quando comecei o projeto de crowdfunding em Janeiro de 2020.  Cheguei a gravar as bases com piano, baixo e bateria no estúdio no Rio de Janeiro no início de 2020, mas logo em seguida veio a pandemia e a partir daí o restante das gravações foram produzidas remotamente.

MaisPB – Aliás, esse é seu disco totalmente autoral. Vamos falar dessa experiência?

Hamleto Stamato – Uma alegria muito grande poder reunir em um CD as minhas composições e arranjos.

MaisPB – Como falei é um disco que lembra festas, bailes e é a cara do Brasil…

Hamleto Stamato – Algumas músicas foram compostas  para o meu primeiro DVD “Gafieira Jazz”. Muitas em ritmo de samba, o que naturalmente pra nós brasileiros já é motivo de festa, músicas com andamento mais rápido ou mesmo uma bossa nova ou qualquer outro ritmo latino remete a diversão e  boas festas.

MaisPB – A segunda faixa “Cris” é bossa nova, coisa que não morre nunca. E só nessa você canta. Essa canção é antiga, é para um amor?

Hamleto Stamato – A música Cris eu fiz pra minha esposa, com quem estou casado há 26 anos. Inicialmente ela foi composta na época do DVD em 2009, mas na época apenas gravei ela instrumental. Eu fiz a letra o ano passado para a gravação do Autoral.

MaisPB – O disco está cheio de participações de grandes músicos brasileiros e da orquestra russa  St. Petersburg Studio Orquestra, que tem regente brasileiro. Como aconteceu essa junção?

Hamleto Stamato – Tive a sorte de poder contar com  grandes músicos e amigos como Jessé Sadoc nos trompetes e flughel horn,  Marcelo Martins sax, Vittor Santos trombone, Augusto Mattoso no baixo e Erivelton Silva na bateria. O contato com o maestro Kleber Augusto que rege a orquestra se deu através de um amigo em comum também produtor aqui do Rio de Janeiro. Eles fazem gravações remotas há algum tempo no próprio estúdio em St. Petersburg na Rússia. Eu envio as bases gravadas e as partituras com os arranjos.

MaisPB – Como se deu a gravação aqui no Brasil e na Holanda?

Hamleto Stamato – As bases foram gravadas no Brasil e os sopros e as cordas foram gravadas remotamente na Holanda.

MaisPB – Você mora há muito tempo na Holanda e trabalha só com música?

Hamleto Stamato – Sou músico profissional há 33 anos. Nos últimos quatro anos estou entre a Holanda e Brasil participando de festivais de jazz no Brasil na Europa e também na Ásia.

MaisPB  – Vamos falar da escolha dos temas desse novo trabalho?

Hamleto Stamato – A escolha dos temas foram pela ordem das primeiras gravações até 2009. Visando um possível CD autoral vol 2 na sequência.

MaisPB – A quinta  faixa “Com Salsa” parece uma canção para filmes, um jazz?

Hamleto Stamato – Salsa é um ritmo caribenho mas na parte B da música o ritmo é de samba. O Jazz está mais ligado a  linguagem da improvisação o que é recorrente em todo CD.

MaisPB –  A sexta faixa “Bossa pra Mimi” segue o mesmo ritmo, uma melodia harmoniosa?

Hamleto Stamato – Sim, também é um samba rápido, mais sincopado mas com a melodia harmoniosa.

MaisPB  – Em “Samba pra Mamá”, (a sétima faixa) o piano aparece sutilmente, é bonito assim também?

Hamleto Stamato – Em   Samba pra Mama o piano faz a  melodia e tem o seu destaque no solo. Cada música  pede uma situação de como se colocar tocando nela.

MaisPB  – Como foi a aceitação do CD “Ponte Aérea” de 2018?

Hamleto Stamato – Foi muito boa a aceitação da crítica e do público de modo geral. Ponte aérea foi um CD de trio com um repertório de standards do samba jazz nacional mas com arranjos inéditos bem diferentes do originais.

MaisPB – Que analise você faz do Brasil com essa pandemia, que parece não ter fim?

Hamleto Stamato – Infelizmente o setor cultural foi o primeiro a parar e será o último a voltar. Acredito que com a vacina para todos tudo vai se normalizar.

MaisPB  – Vamos voltar no tempo e falar do inicio dos anos 2000, quando você lançou seu primeiro trabalho solo, o “Speed Samba Jazz” e veio uma série de cinco CDs (Delira Música); em 2009, gravou o seu primeiro DVD, Gafieira Jazz; em 2016 gravou um CD em homenagem ao seu pai intitulado Tributo a Mileto?

Hamleto Stamato – Sim, foi um CD muito importante pra mim o Tributo a Mileto que eu fiz em homenagem ao meu pai, no qual eu consegui  interagir com gravações em uma fita cassete com ele tocando suas composições.

MaisPB  – Iniciou sua trajetória profissional no final dos anos 80 e é reconhecido por ter tocado com gente como Tim Maia, Danilo Caymmi, Pery Ribeiro e muitos outros. Conte aí dessa experiência?

Hamleto Stamato – Cada um desses artistas foram muito importantes na minha formação e trajetória como músico profissional. Tenho uma admiração e um carinho muito grande por todos eles e me sinto  feliz de ter feito um pouco parte dessa história.

MaisPB

error: Alerta: Conteúdo Protegido !!