João Pessoa, 04 de fevereiro de 2021 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
"A origem"

Calvário mira contratos da educação na Prefeitura de João Pessoa e Estado

Comentários:
publicado em 04/02/2021 às 06h08
atualizado em 04/02/2021 às 07h36
A- A+
"A Origem" foi deflagrada para cumprir 31 mandados

Nova fases da operação Calvário foram deflagradas no início da manhã desta quinta-feira (4) para cumprimento de 28 mandados de busca e apreensão e três de prisão em João Pessoa, Campina Grande e outras cidades do interior paraibano. A operação ‘A Origem’ investiga licitações e contratos do Governo do Estado e da Prefeitura de João Pessoa na área de educação.

+ Edvaldo Rosas, Coriolano Coutinho e empresário são presos em nova fase da Calvário

Foram apreendido cinco carro e um jet ski que pertencem ao empresário Pitro Herley, preso na operação. Os veículos estavam em nome de “laranjas”.

+ Ex-secretários de Educação de Cartaxo são alvos da Calvário 

“A Origem” concentra as 11ª e 12ª fase da operação Calvário para investigar contratos para aquisição de livros por parte das Secretarias de Educação do Estado, no ano de 2014, e Prefeitura de João Pessoa, no ano de 2013, nos valores de R$ 4.499.995,50 e R$ 1.501.148,60, respectivamente.

+ Blog Wallison Bezerra: depois do “juízo final”, Calvário vai na origem

A investigação estima que o prejuízo ao erário chega a R$ 2,3 milhões, em razão do pagamento de propinas a agentes
públicos e políticos. Os principais crimes investigados são os de dispensa e/ou inexigibilidade ilícita de licitação, fraude licitatória, “lavagem” e/ou ocultação de bens, direitos e valores, corrupção passiva, peculato e corrupção ativa.

+ “A Calvário não para, é um mundo”, diz superintendente da CGU na Paraíba

A operação é realizada pela Controladoria Geral da União, Gaeco, CGU, TCE, MPF, Receita Estadual, Polícias Civil e Militar. Os mandados são cumpridos em Cabedelo, João Pessoa (bairros: Portal do Sol, Cabo Branco, Miramar, Manaíra, Pedro Gondim, 13 de maio, Jaguaribe, Tambauzinho, Cristo, Cidade Universitária), Campina Grande e Taperoá. Também há cumprimento de mandados em Brasília, Florianópolis e São Paulo, expedidos pela 1ª Vara Criminal de João Pessoa.

A Calvário investiga desvio de recursos públicos durante a gestão do ex-governador Ricardo Coutinho através de organizações sociais contratadas para administrar hospitais.

MaisPB

error: Alerta: Conteúdo Protegido !!