João Pessoa, 11 de maio de 2012 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
OPERAÇÃO LOGOFF

Operação da PF apreende documentos do Jampa Digital no CAM da Capital

Comentários:
publicado em 11/05/2012 às 08h58
A- A+

A Polícia Federal em parceria com a Controladoria Geral da União (CGU) deflagrou na manhã desta sexta-feira (11) a Operação Logoff que tem o objetivo de investigar supostas irregularidades na execução do projeto Jampa Digital, convênio firmado entre a prefeitura de João Pessoa com a  empresa baiana Idéia Digital para levar internet gratuita e sem fio a bairros da cidade na Prefeitura de João Pessoa. A ação acontece,simultaneamente, na Paraíba, Bahia e em Pernambuco.

Nas primeiras horas de hoje, a Polícia Federal esteve no Centro Administrativo Municipal (CAM) onde apreendeu documentos do projeto que serão analisados pelos órgãos federais.

Em nota divulgada à imprensa, a PF explicou que operação esta sendo realizada para buscar “novos elementos” que comprovem “irregularidades já constatadas” na licitação feita entre a Prefeitura da Capital e a empresa  Idéia Digital.

A PF também busca provas nas casas dos sócios da Idéia Digital e nos setores de licitação e de compras da Prefeitura de João Pessoa.

Às 10 horas será concedida uma entrevista coletiva na sede da Polícia Federal, em Cabedelo.

Participam da operação 30 policiais federais e 07 servidores da Controladoria Geral da União.

Entenda –No dia 25 de março, uma reportagem do Fantástico denunciou que o projeto de internet sem fio lançado em 2010 não funcionava. A proposta era transformar João Pessoa na primeira capital digital do país, monitorada por câmeras, com escolas informatizadas e acesso grátis à web em praças públicas e na orla.

De acordo com a Polícia Federal, os documentos apreendidos servirão como novos elementos para comprovar supostas irregularidades já constatadas no procedimento licitatório e na execução do contrato celebrado entre a prefeitura e a empresa vencedora da concorrência, a Ideia Digital Sistemas.

Além da suspeita de fraude na licitação para beneficiar a empresa, a PF e a Corregedoria investigam se houve desvio dos recursos federais que foram repassados ao município pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, por meio de superfaturamento dos serviços por sobrepreço.

Veja nota da PF:

POLÍCIA FEDERAL DEFLAGRA OPERAÇÃO LOGOFF

Cabedelo/PB – A Polícia Federal na Paraíba, em conjunto com a Controladoria-Geral da União desencadeou, na manhã de hoje (11 de maio de 2012), a Operação “LOGOFF”, com o objetivo de apreender novos elementos de prova de irregularidades já constatadas no procedimento licitatório e na execução do contrato celebrado entre a Prefeitura Municipal de João Pessoa/PB e a empresa vencedora do certame de licitação, ocorrida para fins de “Criação da Plataforma de Convergência Social e Digital de João Pessoa”, projeto esse conhecido como “Jampa Digital”, custeado com recursos públicos federais repassados ao município pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Estão sendo cumpridos 06 (seis) mandados de busca e apreensão na sede da empresa na Bahia e em suas filiais no Estado de Pernambuco, bem como nas residências dos seus sócios e nos setores de licitação e de compras da Prefeitura de João Pessoa/PB. Participam da referida Operação 30 policiais federais e 07 servidores da Controladoria Geral da União.

Investigações realizadas revelaram ajustes entre as empresas com o objetivo de fraudar o caráter competitivo da licitação, bem como desvio de recursos públicos em razão de superfaturamento por sobrepreço.

Será concedida uma coletiva de imprensa às 10:30 hs na Superintendência Regional da Polícia Federal em Cabedelo/PB.

Comunicação Social da SR/DPF/PB

MaisPB

com informação  do  G1

error: Alerta: Conteúdo Protegido !!