João Pessoa, 27 de junho de 2022 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
O escritor e jornalista Eduardo Lamas Neiva é o criador do projeto Jogada de Música, que deu nome a quadro de programas na Rádio Globo Rio e a outros trabalhos na área cultural, e é autor dos livros “Profano Coração”, “O Negro Crepúsculo”, “Sutilezas”, “Contos da Bola” e “Cor Própria”, e das peças de teatro “Sentença de Vida” e “A Confissão”.

Pergunta incômoda, mas necessária

Comentários:
publicado em 27/06/2022 às 07h00
atualizado em 26/06/2022 às 15h27

Você gosta de ser quem você é? Ou, se pudesse, se trocaria por outra pessoa, outra alma, com outra personalidade, ou com alguma outra característica física? Você preferia ser uma pessoa com algum talento que não tem? Gostaria de ser um ídolo seu, alguém que conhece? Repito: você gosta mesmo de ser quem verdadeiramente é?

Creio que esta deveria ser a principal pergunta diária que cada um deveria se fazer. Não para se desiludir, se deprimir, se vitimizar, se magoar. Mas para se conhecer melhor, crescer. E ser aquilo que realmente deseja para si. Somos aquilo que fazemos de nós. Você já sabe o que veio fazer neste mundo? Se passou dos 30 e ainda não descobriu, é bom se apressar. Ou vai ficar fingindo a vida inteira para si mesmo, com uma máscara que a qualquer momento vai desabar diante do espelho?

É extremamente maléfico querer se transformar em algo que não tem absolutamente nada a ver com você, sua visão de mundo, seu modo de ser. Pior ainda é querer viver uma vida igual a de alguma celebridade ou alguém que admire muito, mesmo que seja anônima. Aceitar-se e amar-se, eis a questão da humanidade. Shakespeare, no famoso monólogo de Hamlet, questionava-se: ser ou não ser? Porém, o mundo moderno jogou o dilema do príncipe da Dinamarca no colo de qualquer plebeu que anda muito mais preocupado em ter ou não ter, seja em qualquer podre reino.

Vergonha na cara é bom para começar a lição. Você gosta realmente de você, como você é? Respondo por mim com toda sinceridade: com todos os meus grandes defeitos e problemas, não me trocaria para ser ninguém mais, embora admire tantos – inclui as tantas, claro (não me peçam jamais para escrever “tantes”. Ser-se é a tarefa mais árdua, profunda e bela que nós humanos temos. É a nossa primeira, primordial, missão. Respeite-se, aceite-se, ame-se. Material e espiritualmente. Desta forma ninguém o derrubará e você será respeitado, aceito e amado. Por quem realmente importa.

Almas amortecidas
vivências anestesiadas
correnteza de existência opaca
que não sabe o que é parar,
retroceder, desviar,
contrapor, questionar,
contemplar, meditar,
resistir, transformar

Tempo que escorre pelo corpo
e se aloja no chão de concreto
qual uma poça rala
cujo reflexo é conformidade,
insignificância, indiferença

Poças que se unem
para formar um lago raso
de águas turvas
que ganha lento e arrastado movimento
de sua própria inércia
e torna-se caudaloso e insalubre rio
mar sem sal, oleoso oceano

 que inunda mundos inteiros
de água estéril
que sufoca sementes, plantações
e intoxica povos e culturas.

Obs.: Estes versos acima pertencem à poesia “Lago raso de águas turvas” que abre um dos capítulos do meu segundo livro, o romance “O negro crepúsculo”.

* Os textos dos colunistas e blogueiros não refletem, necessariamente, a opinião do Portal MaisPB

MaisTV

Brasil vence a primeira na Copa do Mundo Sub-20 de futebol feminino

contra Austrália - 14/08/2022

Opinião

Paraíba

Brasil

Fama

mais lidas