João Pessoa, 13 de maio de 2022 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Clara Velloso Borges é escritora, professora de literatura e mestranda em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais. E-mail: claravellosob@gmail.com

 

Ecos musicais

Comentários:
publicado em 13/05/2022 às 07h00
atualizado em 12/05/2022 às 15h18
A- A+

Algumas semanas atrás, uma música em espanhol da cantora Anitta alcançou o topo das reproduções mundiais do Spotify. Houve quem festejasse a marca; houve quem achasse fajuto, porque a maioria dos ouvintes pode ser brasileira. Não é a primeira vez que a popstar é repreendida. Regularmente, público e crítica apontam que a música feita por Anitta poderia ser feita por qualquer um. Será?

A discussão sobre quem é capaz de fazer música pode ser extraída do conto Josefina, a cantora, de Franz Kafka. Nele, com seu canto, Josefina arrebata uma raça que prefere o silêncio. Sua voz, entretanto, não é nada especial, parece até um assobio. Todos nós assobiamos, mas é por decidir ser cantora, desejar a glória e os holofotes, que admiramos em Josefina aquilo que de modo algum admiramos em nós.

Nem todos sustentam o desejo de se tornar uma estrela. A personagem-título de Onde andará Dulce Veiga?, romance de Caio Fernando Abreu, desaparece antes do show que faria dela um sucesso. 20 anos depois, um jornalista decide investigar seu paradeiro. Nesta jornada, é o jornalista quem aprende a cantar.

Kafka, realista fabuloso nas suas breves narrativas, pode embasar vários questionamentos sobre o valor do artista. Ele mesmo escreveu Josefina, a cantora, quando estava falido e doente. Caio Fernando Abreu escolhe outro caminho, valendo-se do sumiço da artista para que outro personagem encontre sua harmonia. De certo modo, os dois textos refletem como nos enxergamos no mundo, a partir ecos musicais, enquanto realizamos atividades que outras pessoas até poderiam fazer, mas que cabem a nós, porque só as nossas experiências nos levaram até elas. Gosto dos questionamentos que nos levam até a nossa própria voz, como os que rondam Dulce Veiga, para que com esta voz façamos o que quisermos – inclusive cantar junto com as músicas de Anitta no Spotify.

* Os textos dos colunistas e blogueiros não refletem, necessariamente, a opinião do Portal MaisPB

MaisTV

Sem água, moradores de Santa Rita fecham rodovia

GRANDE JOÃO PESSOA - 13/05/2022

Opinião

Paraíba

Brasil

Fama

mais lidas