João Pessoa, 07 de janeiro de 2021 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Magistrado, colaborador do Diário de Pernambuco, leitor semiótico, vivendo num mundo de discos, livros e livre pensar. E-mail: adhailton@globo.com

A voz e a obra de Letícia

Comentários:
publicado em 07/01/2021 às 06h29
A- A+

Nada mais gratificante do que ter em mãos um livro que não nos desaponta. Afazeres profissionais e outras leituras em andamento fizeram com que somente nos primeiros dias deste novo ano eu iniciasse e concluísse, extasiado, a leitura de um livro cujo título já diz muito sobre sua autora e seu propósito: Voz Mulher, da escritora paulista e pessoense por adoção, Letícia Palmeira.

Catalogado como novela pela Editora Penalux, o livro conduz o leitor a definições várias sobre seu gênero, “… Ensaio? Romance curto? Diário? Fragmentos de algo em processo? Autobiografia? Importa?” como bem observado pela prefaciadora Liane Schneider. Quem sabe, uma autoficção, muito em voga hoje em dia. Mas o fato é que Voz Mulher não tem a pretensão de soar tonitruante , mas falar como firmeza e requinte da visão tangível da autora sobre o cotidiano imperceptível aos olhos de muitas pessoas.

O substrato de suas admoestações emergiu da pandemia da Covid 19 que nos conduziu a todos ao torvelinho de incertezas criando o “novo normal”, e Letícia nos brinda com uma prosa poética portentosa, sem adiposidade, que inquieta, seduz, mas dá a certeza de que sua voz está proferindo a lídima evocação de seu coração de mulher.

A autora já tem vasta obra em prosa e participou de algumas antologias de contos. Escreve romances, crônicas e contos, destacando-se Artesão de Ilusões (2009), Sinfônica Adulterada (2011), Diário Bordô e outras pequenas vastidões (2013). O primeiro romance foi publicado no ano de 2015, Sol e Névoa. No ano seguinte publicou A obscena necessidade do verbo seguido de O Porta-Retrato (2017). Feminista, foi uma das organizadoras de uma coletânea de textos de autoras paraibanas intitulada Ventre Urbano (2016). Também organizou um livro coletivo Não Temos Wi-Fi (2017). Tem também publicado em formato digital (e-book) o ivro A Química entre nós, de 2018.

Letícia Palmeira graduou-se no curso de Letras pela Universidade Federal da Paraíba, mora e trabalha aqui em João Pessoa. A autora escreve e publica constantemente, pois temos em 2019 o livro Mostruário Persa e agora em 2020 o Voz Mulher. Letícia tem muito a nos dizer. Vale muito conhecer a sua obra.

* Os textos dos colunistas e blogueiros não refletem, necessariamente, a opinião do Portal MaisPB

error: Alerta: Conteúdo Protegido !!