João Pessoa, 29 de abril de 2013 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
CELEBRIDADE

Netinho é diagnosticado com adenomas no fígado, diz assessoria

Comentários:
publicado em 29/04/2013 às 15h33
A- A+

O cantor Netinho foi diagnosticado com “adenomas hepáticos benignos”, segundo informou a assessoria de imprensa do artista nesta segunda-feira (29). Netinho está internado na Unidade de terapia Intensiva (UTI), do Hospital Aliança, em Salvador.

Por meio de nota, a assessoria informou que “na quarta-feira (24) [dia em que foi internado] Netinho foi submetido a uma biópsia e durante o procedimento, teve uma das veias rompida, precisando passar por um processo cirúrgico”. O resultado do exame descartou a possibilidade de câncer, informa a assessoria.
A previsão é de que Netinho continue internado na UTI até a quinta-feira (2). No domingo (28), ele foi liberado a receber visitas de familiares.

Em nota divulgada à imprensa, o cantor mandou agradecer o carinho dos fãs e disse que assim que for para o quarto responderá todas as mensagens. O paciente ainda não tem previsão de alta. O Hospital Aliança não divulgou o boletim oficial sobre o estado de saúde do paciente.
Adenomas hepáticos

O G1 não teve acesso ao especialista que acompanha Netinho e consultou o hepatologista Raymundo Paraná para explicar o que são adenomas hepáticos. De acordo com o médico, são lesões benignas do fígado, que são classificadas em três tipos diferentes: 1, 2 e 3. Segundo Paraná, os adenomas hepáticos são, na maioria das vezes, causados por uso de hormônio e aparecem mais em mulheres. O diagnóstico em homens, de acordo com o hepatologista, é muito raro.

"Normalmente, [os adenomas hepáticos] são mais encontrados em mulheres que usam contraceptivo oral, muito raramente em homens, porque esse tipo de adenoma, que é o mais comum, se associa ao uso de hormônios femininos. Normalmente, é uma lesão no fígado que é benigna. Muito raramente sofre malignização. Em homens, o adenoma é muito raro. Hoje se torna um pouco mais comum em função de algumas práticas na academia, por exemplo, onde se faz uso de medicamentos com testosterona. Não estou dizendo que seja o caso do paciente, é importante dizer isso. O adenoma em homens é um caso de absoluta exceção", afirmou.

Raymundo Paraná esclarece ainda que o risco para quem é diagnosticado com adenomas hepáticos só ocorre caso a lesão não seja diagnosticada precocemente porque ela pode evoluir e rompe, causando sangramento no abdomên. "Quando [a lesão] é diagnosticada precocemente, com a suspensão do medicamento, pode haver regressão. Se a lesão já é grande e tem-se risco de ruptura, faz a cirurgia para a retirada. O sintoma pode ser nenhum até que o fígado venha a sofrer ruptura ou uma imagem em um diagnóstico incidental mostre a lesão – o que é o ideal porque senão a evolução é para ruptura", disse o hepatologista.

G1

error: Alerta: Conteúdo Protegido !!