João Pessoa, 11 de dezembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Vida ou morte

Comentários:
publicado em 17/04/2011 às 15h54

Na nossa medíocre cultura política paraibana o tema não dá voto. Talvez seja por isso que o deputado estadual Trócolli Júnior (PMDB) tem sido voz isolada no meio de uma legião de políticos entorpecidos pelo “rame-rame” e o jogo dos bastidores.

Não que Trócolli também não esteja inserido nessa seara, mas ao levantar na imprensa e no parlamento o tema do combate ao crack, o deputado peemedebista cumpre um papel relevante na luta contra a droga mais devastadora que se tem notícia.

E o raciocínio do parlamentar é simples e absolutamente racional. Ora, se gastamos milhões de reais com obras faraônicas de serventia questionável, porque não investir na recuperação dos dependentes químicos e socorro aos seus familiares?

Dados recentes da Confederação Nacional dos Municípios apontam que o crack já chegou a 98% das cidades paraibanas. Não há praticamente nenhum município salvo da droga. Em 80 deles, não existe qualquer trabalho de prevenção ou atendimento.

O descaso das autoridades com esse grave problema de saúde levou nossa João Pessoa a contabilizar o infeliz 2º lugar entre as capitais brasileiras que mais consomem crack. Já somos campeões no consumo entre estudantes do ensino fundamental e médio.

O quadro desolador ainda não conseguiu mover nossas autoridades a uma força tarefa para salvar famílias e conter o avanço do entorpecente. Além de responsável pela morte do viciado, o crack é o passo inicial para o crime e combustível da violência. É problema de saúde e segurança. Enfrentá-lo é uma questão de vida ou morte.

Pela vida – Em João Pessoa, a Fundação Cidade Viva, presidida pelo pastor Sérgio Queiroz, faz um dos mais consistes trabalhos de atendimento com 67% de recuperação dos dependentes.

Demanda – A entidade, braço social da Igreja Cidade Viva, gasta por mês 30% (R$ 100 mil) de todo seu orçamento com a missão, mas há fila esperando uma vaga pra fugir da morte.

Uma dose de fidalguia faz bem à Saúde – Professora de Ética da Saúde, na UFPB, Roseana Meira poderia dar aula a uma de suas assessoras jurídicas. A moça ligou para o Portal MaisPB solicitando retirada de uma foto cuja estética desagrada a secretária. Após ponderação do editor, ela foi logo ameaçando “outras providências”. Não precisa tanto. Vocabulário ‘republicano’ ajuda mais.

Para desafogar a vida da gente – Notícia alentadora para o motorista pessoense. O Governo do Estado e a Prefeitura de João Pessoa preparam projetos de intervenção no trânsito da capital paraibana com recursos que ultrapassam a casa dos R$ 300 milhões, oriundos do PAC.

Novas alternativas de transporte – De acordo com o secretário do PAC na Paraíba, as ações vão priorizar as avenidas Epitácio Pessoa, Beira Rio e Cruz das Armas. O projeto inclui a implantação de BRT, VLT e a construção de grandes estacionamentos nos pontos movimentados até 2013.

Pimenta – Qual terá sido o tempero do recente almoço entre o deputado Damião Feliciano (PDT) e o vice Rômulo Gouveia, que planeja levar os pedetistas Raoni e Ludgério ao PSD.

Palavra – Tem gente na ágora paraibana em vias de descumprir compromissos que geraram reviravolta política. A raiz da ingratidão quando cresce espalha galhos daninhos.

Frieza ou trunfo? – A não ser que seja um excelente ator, o tom da conversa do senador Wilson Santiago (PMDB) não é de quem vive melancolia da despedida. Tem algo a mais no ar.

Principado – Na Paraíba, os conselheiros aconselham até em matérias alheias a notável competência ou jurisdição. E “ai” do aconselhado que ignorar o parecer. Terá contas a pagar.

Sinal de vida – O Dnit inicia na próxima semana o trabalho de sinalização da BR-405(trecho próximo à Uiraúna), conhecida como Rodovia da Morte. Só este ano foram nove vítimas fatais.

Cinquentinha – O deputado Romero Rodrigues quer solução para o transporte, acoplada à flexibilidade ao usuário que “sofreu com o choque das medidas duras adotadas pelo Detran”.

Responda rápido – A demora na nomeação do ex-governador Maranhão no Governo Dilma deve-se a costura para um bom cargo ou traduz desprestígio do peemedebista em Brasília?

Telescópio – O vereador Fernando Milanez (PMDB) mantém o radar ligado 24 horas. Monitora estratégias, mapeia movimentos e diagnostica acenos. Essa alma quer reza.

Ovos de páscoa – Com as bênçãos do PP e do grupo Ribeiro, o ex-deputado Inaldo Leitão deve ser confirmado na direção do Departamento Nacional de Trânsito antes da Semana Santa.

Devoção e prejuízo – Badalado ex-assessor de determinada gestão investiu o público e o privado na reeleição do chefe. Não se preveniu para a impensada derrota. Hoje anda liso. E arrependido.

PINGO QUENTE – “O senhor conhece alguma rua de Campina Grande”? Pergunta no debate de 2010 de Maranhão para Ricardo, que dias depois venceria na cidade com 55 mil votos de maioria.


Leia Também