João Pessoa, 26 de maio de 2017 | --ºC / --ºC 04:30 - 2.6 | 10:41 - 0.0 | 16:58 - 2.6 | 23:00 - 0.1 Dólar 3,28 - Euro 3,68

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

A pauta da Mesa travando a pauta da Câmara de João Pessoa

Comentários:
publicado em 23/12/2016 às 08h11
atualizado em 23/12/2016 às 08h22
A- A+

Fome por espaços na Mesa deixou vereadores sem estômago para as demandas pendentes da cidade

Está para aniversariar 90 dias que os vereadores de João Pessoa tomam café, almoçam e jantam um só tema: a eleição da Mesa Diretora da Câmara.

A fome demasiada pelos espaços de poder vem deixando os parlamentares sem apetite para conciliar esse prato com as obrigações precípuas ao funcionamento do Poder e ao atendimento das demandas da cidade.

Enquanto comem ou vomitam votos, há projetos importantes na gaveta aguardando apreciação e votação no plenário.

De cara, cito três: os projetos de Lei Antinepotismo, o que cria regras para substituição gradativa de servidores contratados e a rejeição ao aumento salarial dos agentes da administração municipal, todos de iniciativa do Executivo.

O prefeito Luciano Cartaxo tem feito sua parte. Além de encaminhar medidas relevantes para o bom funcionamento da máquina, entrega duas obras por semana nesses últimos dias de 2016.

Nas solenidades das inaugurações é possível perceber que não há um vereador, nem que seja com olhos de fiscal, para conferir a qualidade ou a relevância do serviço.

Luciano apontou uma pauta de interesse da cidade e da modernização da gestão. Porém, os vereadores – famintos pelos aperitivos da Mesa – estão sem estômago para esse cardápio.

Revés no TJ
O projeto de poder aspirado pelos desembargadores Fred Coutinho (foto à esquerda) e Oswaldo Trigueiro tinha ambição de até 30 anos. No caminho, havia até a pretensão de criação de nova vaga para abrigar no Tribunal de Justiça o procurador Bertrand Ásfora, aliado de ambos. Com a derrubada da eleição vencida por esse grupo e a ascensão de Joás de Brito à Presidência, em novo pleito, a meta foi duramente interrompida.

BRASAS
*Instinto de sobrevivência – Aliados do governador Ricardo Coutinho já ruminam nos bastidores a necessidade de reaproximação com o prefeito Luciano Cartaxo para 2018.

*De bem com a história – A revitalização do centenário Teatro Santa Roza. Bom para o patrimônio histórico. Melhor para nossa arte.

*Desprendimento – Partiu do bispo José Luiz (PRB) o gesto que proporcionou a adesão dos vereadores Dinho e Thiago Lucena, ambos do PMN, a Marcos Vinicius (PSDB).

*Vaga – Luiz abdicou, espontâneamente, do cargo de vice-presidente para contemplar Dinho e carimbar a fatura da eleição do grupo.

*Espaço – Pela experiência acumulada na Presidência da Câmara, o vereador Durval Ferreira (PP) tem tudo para ocupar importante Secretaria na Prefeitura.

*Consenso – Fala-se no veterano vereador Pedro Coutinho (PHS) como nome em potencial para ocupar o cargo de líder do prefeito na Câmara.

FALA CANDINHA!
Sonrisal
De Dona Candinha sobre a ‘fome’ dos vereadores de João Pessoa pela Mesa: “Tem que ter cuidado com uma indigestão”.

PONTO DE INTERROGAÇÃO
No provável cenário de Manoel Júnior não assumir: e se Luciano e Ricardo combinarem novas eleições municipais em 2018 em troca de apoio estadual?

PINGO QUENTE
“Esse não é o Governo que eu gostaria que estivesse administrando o Estado”. Da deputada Daniella Ribeiro (PP-foto) criticando a “falta de planejamento” estadual no enfrentamento do colapso hídrico.

Leia Também

error: Conteúdo protegido!