João Pessoa, 26 de novembro de 2015 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
VÍDEO

Debate sobre o TCM na Paraíba quase acaba em briga na AL

Comentários:
publicado em 26/11/2015 às 12h43
atualizado em 26/11/2015 às 17h04
A- A+

Um dia após ser votado na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), o requerimento 178/2015, de autoria da Mesa Diretora da ALPB, formalizando pedido para que o poder Executivo envie ao Legislativo Proposta de Emenda à Constituição (PEC) solicitando a criação do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) no Estado, causou grande confusão no plenário da Casa de Epitácio Pessoa, durante a sessão ordinária desta quinta-feira (26).

Deputados das bancadas da oposição e situação quase chegaram às vias de fato. Termos como delinquente, marginal e sorrateiro foram usados. O presidente da ALPB, Adriano Galdino (PSB), teve que intervir para acalmar os ânimos e encerrou a sessão.

A confusão começou porque os deputados da oposição, comandados por Tovar Correia Lima (PSDB), Camila Toscano (PSDB) e Bruno Cunha Lima (PSDB), alegam que foram vítimas de uma manobra da Mesa Diretora da ALPB, que teria incluído o requerimento na pauta de votação da sessão de ontem sem o conhecimento dos oposicionistas.

Inclusive, Tovar Lima e Camila Toscano encaminharam ofício ao presidente Adriano Galdino, solicitando que seja consignado em ata declaração escrita de voto contrário ao requerimento e anunciaram que vão judicializar a questão, dando entrada a um mandado de segurança no Tribunal de Justiça da paraíba (TJPB) para cancelar a sessão que aprovou o requerimento.

Na sessão de hoje, Tovar acusou o deputado Ricardo Barbosa (PSB) de conduzir a votação do requerimento de forma enganosa e ludibriando a oposição. Ele disse que Barbosa tinha competência para driblar o regimento, foi a taquigrafia e constatou que Barbosa não citou o nome do regimento na ordem do dia. Tovar disse também não aceitar Barbosa chamar a oposição de incompetente, e de que cochilaram na sessão. “Fomos ludibriados”, disse

O deputado Ricardo Barbosa, da bancada da situação, não gostou das acusações dos oposicionistas e partiu para o ataque, com fortes críticas contra Tovar. Na tribuna da ALPB, Barbosa chamou a oposição de incompetente e despreparada e disse que Tovar deve ter levado um puxão de orelha do sogro, o conselheiro do TCE, Fernando Catão. Barbosa chegou a chamar Tovar de delinquente. “Você chegou aqui comprando votos, pego pela Polícia Federal, seu delinquente, delinquente. Você é um delinquente, marginal”, bradava Barbosa.

Veja vídeo:

Após o ataques de Barbosa, Tovar acusou o deputado de ser estabanado e desequilibrado e que sua forma de ser todos conhecem, inclusive “seus ex-chefes Fernando Catão, Ronaldo Cunha Lima e Cássio Cunha Lima” e que seu jeito de ser não lhe rendeu nada a não ser este único e último mandato. “Vossa excelência é sorrateiro”, disse Tovar.

Confira cobertura da MaisTV de sessão que terminou em tumulto na Assembleia

Para tentar acalmar os ânimos, o presidente Adriano Galdino encerrou a sessão, mas antes chamou a atenção de Ricardo Barbosa, reprovando sua postura.

“Agredir o outro da maneira que você agrediu é ruim para a casa. A Assembleia não vai mais aceitar isto. A Paraíba quer que o deputado cumpra seu papel de deputado. A Paraíba não ver que essa Casa seja rinha de galo, quer deputados que proponha, que busque o melhor para o Estado”, disse.

A

MaisPB

Certificado digital mais barato para advogados e contadores Clique e saiba como adquirir

Leia Também