João Pessoa, 27 de maio de 2024 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
Espaço K

Entrevista: urologista Marcelo Sarmento fala sobre saúde, profissão e vida

Comentários: 0
publicado em 27/05/2024 às 11h20
atualizado em 27/05/2024 às 09h14

Kubitschek Pinheiro

Só podia ser sertanejo, o talentoso urologista Marcelo Sarmento. Do sertão para o mundo, mas tem que estudar e muito, para chegar ao patamar Marcelo Sarmento está. Ele nasceu em Pombal, janeiro de 1967. Tem muito chão pela frente.

Ainda garoto já na capital, MS estudou  o primeiro e segundo grau no Colégio Marista  Pio X e já estava certo, que faria o curso de Medicina. Há exato 34 anos Marcelo Sarmento se graduou pela UFPB. E vai se esticando, nesse tempo no mercado saúde. Apenas o começo.

Tem residência médica em Urologia (1991/1994), no Hospital Nove de Julho de São Paulo. É membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia e foi presidente de Sociedade Brasileira de Urologia – Secção Paraíba (1997/1998). Também assumiu esteve à da Sociedade Brasileira de Urologia – secção Paraíba (1994/1997, membro da Comissão de Ética da Sociedade Brasileira de Urologia (1997/1998)

Marcelo Sarmento fez seu nome, hoje é uma marca profissional, um respeitado médico de reconhecimento e conhecimentos.

Quer saber com quer idade, o homem precisa avaliar a sua próstata? Ele conta:  “A idade indicada para iniciar a avaliação prostática é aos 45 anos para aqueles homens que tem histórico familiar de Câncer da Próstata, para os que não tem antecedentes, a partir dos 50 anos”.

O Espaço K conversou com Marcelo Sarmento e traz esta semana uma boa entrevista. Leiam, tirem suas dúvidas e conheçam mais desse sertanejo cosmopolita.

Espaço K – Como é  vida de um médico que trabalha dia entrando na noite atendendo pacientes ou fazendo cirurgias?

Marcelo Sarmento – Verdadeiramente é uma carga horária pesada, com muitas horas de trabalho que entram pela noite e finais de semana, muitas vezes absorvendo uma carga elevada dos problemas dos pacientes. Isso reflete no convívio familiar, no lazer, na relação com os amigos.  Existem dados que demonstraram que 64,9% dos médicos apresentaram durante a vida sinais de depressão e as principais causas levantadas foram stress relacionado ao trabalho médico, longas jornadas de trabalho, crescente intensidade e complexidade do trabalho dentre outras. 

Espaço K – Como Marcelo decidiu que seria Urologista?

Marcelo Sarmento  – Isso começou ainda na época de estudante, acompanhado médicos já renomados nas diversas áreas da medicina. Então  no Hospital Santa Isabel, comecei acompanhando as cirurgias dos Drs. Osorio Abath Filho e Josias Batista tive uma afinidade muito grande com estes professores bem como com a urologia, daí em diante, a decisão foi tomada e comecei a me preparar para fazer as provas da residência  

Espaço K – A gente ver mais homens que mulheres em seu consultório, né?

Marcelo Sarmento  – Sim, existe uma frequência maior masculina nos consultórios dos urologistas, isso porque a urologia abrange as patologias do aparelho urinário masculino e feminino e genital masculino, portanto é uma especialidade que é mais abrangente para o sexo masculino, incluindo nesta abrangência a próstata que é exclusividade dos homens e também gera o maior fluxo nos consultórios da especialidade

Espaço K – Os homens estão mais cuidadosos com a saúde? Houve um tempo que muitos homens não procuravam um urologista…

Marcelo Sarmento  – Com certeza, houve um grande crescimento na quantidade de homens que realizam regularmente os seus exames, especialmente estimulados pela esposa e filhas, as mulheres são muito mais zelosas com a saúde  

Espaço K – Um PSA alto, pode representar sinal de câncer?

Marcelo Sarmento  – O PSA elevado não é sinônimo de Câncer de Próstata, ele pode ser entendido como uma análise de risco para o Câncer da próstata, ou seja, PSA elevado a pesquisa mais aprofundada do Adenocarcinoma da próstata deve ser iniciada 

Espaço K –  Falando em câncer de próstata – tem jeito, tem cura, em que fase?

Marcelo Sarmento  – Tem cura sim, o importante é fazer o diagnóstico precoce, por este motivo a avaliação anual é muito importante. São aproximadamente 65.000 novos casos a cada ano, agora imagina se o diagnóstico é realizado de maneira precoce quantas vidas podem ser salvas.  

 Espaço K  – É verdade que ao ter a próstata retirada por completo, o homem pode ficar impotente – aliás, podemos falar sobre isso?

Marcelo Sarmento  – Podemos. Sem, é verdade. A Prostatectomia Radical pode deixar como consequência a disfunção erétil. O percentual desta complicação pode variar de acordo com a técnica utilizada bem como dependente da habilidade e experiência do cirurgião. Vale ressaltar que a disfunção erétil tem tratamento.

Espaço K – Como você faz para se manter atualizado – Marcelo Sarmento participa de eventos nacionais, vive lendo e estudando novas descobertas sobre câncer de próstata?

Marcelo Sarmento – Manter-se atualizado é fundamental, e é exatamente isso, continuar lendo, participando de eventos de maneira presencial ou online, e principalmente manter-se antenado na evolução das tecnologias e conceitos e buscar incorporar estas inovações ao seu dia a dia realizando cursos e treinamentos é um processo de formação contínuo 

Espaço K – Marcelo tem tempo para cuidar da sua saúde? Faz caminhadas?

Marcelo Sarmento  – Quem pretende envelhecer com saúde, vigor, disposição e ter qualidade de vida, tem obrigatoriedade de ter atividade física regular, uma dieta equilibrada. Eu tenho, especialmente depois que completei 50 anos, eu percebi que o estilo de vida saudável passa a ser uma necessidade. 

Espaço K – Você já é avô, do primeiro casamento – como é a sensação de olhar para outras gerações, que vieram de você?

Marcelo Sarmento – É uma sensação maravilhosa, é um amor diferente. Filhos, netos, bisnetos, na minha opinião passam uma sensação de imortalidade. Um pouco de você estará presente nas gerações futuras. Claro que vai se diluindo, mas não desaparece. Amo muito a minha família. 

Espaço K – Seu casamento com a arquiteta Geórgia deu certíssimo , vocês construíam outra família – vamos falar dessa união?

Marcelo Sarmento  – Certíssimo, estamos há 21 anos juntos. Tivemos 2 filhos, Pedro e Isadora. Nossas famílias são integradas, uma convivência sempre muito boa. Geórgia é uma mulher maravilhosa, companheira, mãe cuidadosa, uma pessoa com senso de responsabilidade muito elevado, extremamente inteligente e perspicaz. Altos e baixos houve como acredito seja normal nos casamentos, mas uma mulher sábia edifica do seu lar.

 

Espaço K –  O que você diria a um jovem que faz medicina e pensa em se especializar em urologia?

Marcelo Sarmento  Estude, se prepare, exerça a medicina com vocação. O número de médicos tem crescido de forma desordenada e de maneira concentrada nas grandes cidades. Haverá sempre espaço para quem exercer uma medicina com qualidade, respeito e mantendo o foco em resolver o problema do paciente.

 

 

Leia Também