João Pessoa, 13 de maio de 2022 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
em Santa Rita

Privatização: população de Várzea Nova segue sem água nas torneiras

Comentários:
publicado em 13/05/2022 às 09h29
atualizado em 13/05/2022 às 08h31
A- A+
Sede da Prefeitura de Santa Rita, na Grande JP

Moradores de Várzea Nova, em Santa Rita, na Região Metropolitana de João Pessoa, estão há quase dois dias sem água nas torneiras. Um impasse entre a Prefeitura e a Cagepa impossibilitou o abastecimento nas casas de moradores desde que o Consórcio Águas do Nordeste assumiu o fornecimento de água e esgotamento sanitário. Até a última quarta-feira (11), a Cagepa era a responsável pelo gerenciamento.

Em nota encaminhada ao Portal MaisPB, o prefeito Emerson Panta (PP) afirmou que o município ingressará com ação na justiça para assegurar que os moradores de Várzea Nova continuem sendo atendidos pela Cagepa, apesar do município ter encerrado contratado e anunciado a nova empresa responsável pelo gerenciamento do serviço de abastecimento de água e esgotamento na cidade.

“Na própria ação judicial, o bairro de Várzea Nova foi excluído da discussão processual, conforme afirmação procedida pelo desembargador Saulo Henrique de Sá Benevides: a área de Várzea Nova, justamente por ser assistida pelo sistema de Marés, foi isolada pela edilidade, permanecendo a prestação de serviço com a Cagepa”, disse o prefeito em nota.

Panta considera que o desabastecimento promovido pela Cagepa no bairro é uma medida desumana, desrespeitosa e criminosa. “Por tais razões, a Prefeitura Municipal de Santa Rita tomará todas as providências necessárias para a continuidade dos serviços, ingressando com ação judicial cabível, além de oficializar o Ministério Público para as medidas que entender pertinentes”, frisou.

O diretor de Operações da Cagepa, Thiago Pessoa, afirmou que a prefeitura pediu a extinção do contrato da Prefeitura com a Cagepa, e foi acatado pela Justiça.

“O distrito de Várzea Nova faz parte da Prefeitura. A gente, por lei, é proibido, porque a gente não pode operar, não pode cobrar, porque não temos o contrato de concessão do distrito de Várzea Nova. E não é só lá. Tibiri Fábrica, Alto da Cosibra, alguns bairros também são abastecidos pela barragem de Marés”, explicou.

MaisPB

MaisTV

Campina Grande terá o segundo maior hospital do Nordeste

- 20/05/2022

Opinião

Paraíba

Brasil

Fama

mais lidas