João Pessoa, 06 de janeiro de 2022 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Titular em Letras Clássicas, professor de Língua Latina, Literatura Latina e Literatura Grega da UFPB. Escritor, é membro da Academia Paraibana de Letras. E-mail: [email protected]

A Lição de Janus

Comentários:
publicado em 06/01/2022 às 07h06

Na sua sabedoria, os romanos, a partir do século II a. C., começaram o ano em Janeiro – antes era em março –, consagrando-o a Janus, divindade de onde se origina o nome deste mês.

Sendo bifronte, Janus tinha uma face que olhava para trás e outra para frente. A que olhava para trás nos mostrava o passado que estamos deixando; a que olhava para frente, revela-nos o futuro e suas perspectivas, como um chamamento para o construirmos.

Ao passado, a reflexão, para que não seja repetido; ao futuro, as possibilidades de nos recriarmos e nos reinventarmos com a experiência adquirida, aquela “experiência do saber feito”, que Camões atribui ao Velho do Restelo.

A compreensão de um novo ciclo temporal começando em janeiro, além da simbologia vinculada a Janus, demonstra um conhecimento, ainda que apenas empírico, de Astronomia. O Sol, que ora se encontra em Sagitário, se encaminha para fechar o seu ciclo, a chamada Eclíptica Solar, quando entrar, no dia 19 deste mês, em Capricórnio.

A nossa estrela, então começará, dentro de nossa percepção, a retornar do sul para o norte, reiniciando uma nova caminhada, o que acontecerá a partir do dia 16 de fevereiro, quando entrará em Aquários.

Por que, então, não começar o ano em fevereiro ou mesmo em março, como era antes da mudança feita pelos sacerdotes, responsáveis pelo calendário? Acredito que seja para que Janus nos faça ver e viver ainda um pouco esse passado de modo que possamos consolidar a nossa visão do futuro, uma possibilidade real de fazer uma comparação e poder escolher o melhor.

Assim, como o sol e toda a sabedoria e simbologia envolvidas, na sua lenta trajetória por treze constelações, retornando sempre, mas sendo sempre diferente, que nós possamos viver e sentir a vida de um modo diferente; vida que flui lentamente por um caminho árduo a percorrer e que nunca será a mesma, desde que aprendamos nessa caminhada.

Feliz Ano Novo!

* Os textos dos colunistas e blogueiros não refletem, necessariamente, a opinião do Portal MaisPB

MaisTV

Brasil vence a primeira na Copa do Mundo Sub-20 de futebol feminino

contra Austrália - 14/08/2022

Opinião

Paraíba

Brasil

Fama

mais lidas