João Pessoa, 21 de setembro de 2021 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista paraibano, sertanejo que migrou para a capital em 1975. Começou a carreira  no final da década de 70 escrevendo no Jornal O Norte, depois O Momento e Correio da Paraíba. Trabalha da redação de comunicação do TJPB e mantém uma coluna aos domingos no jornal A União. Vive cercado de livros, filmes e discos. É casado com a chef Francis Córdula e pai de Vítor. E-mail: kubipinheiro@yahoo.com.br

José se espicha online

Comentários:
publicado em 21/09/2021 às 08h30
atualizado em 21/09/2021 às 06h13
A- A+

Eu estava lá.  O mar estava verde. Não tinha ninguém. Só vi José, achei que era o pai de Jesus. Ele se espichava diante da luz.

O dia era um daqueles que lembrou o 11 de setembro, que abafava qualquer som de alegria. Isso das Torres Gêmeas já faz  tanto tempo. Meu filho era um bebê de seis meses.

Vi ou ouvi piar uma gaivota à cata de alimento, mas não tem peixe na maré vazia. Quando a maré encher…

Estacionei a bicicleta na ponta do Seixas,  a mais oriental do continente americano e da parte continental do Brasil, que fica a leste da nossa João Pessoa. É lindo ver a imensidão do mar lá do alto.

Nada além. Nem os cães nem as crianças, só a música que sabia sair de um som da minha cabeça. Era “José”, de Caetano Veloso. “Enquanto espero, só comigo e mal comigo, no umbigo do deserto”. O mar é um deserto fértil.

A paisagem parecia dentro de um vaso naquele Atlântico, quando Chico César canta e diz que se atlântica e eu, ao contrário, tão pacifico, imaginando o outro lado daquele lugar que não era o Egito de José, quando fui me banhar no Mar Morto, em Israel.

Mergulhei e fiquei boiando feito criança, habituado a ir buscar o sal e assistir ao fim do sol, quando a terra cora, coragem, coração. Pena que o mar da minha vida não é virado para o oeste.

Eu como a gaivota ensaiando um voo online de aproximação. Eu queria estar apaixonado.

Pensei em Joseph Conrad, o lobo do mar, autor de “O Coração das Trevas”. Depois vi o lobo da estepe a passar, o lobo Haller, o lobo de Hermann Hesse, sua depressão e sua incapacidade de se comunicar. Eu estava a leste.

Eu estava inspirando o ar a querer resíduos de iodo longínquo. Não vem, não veio.

Vestígios de lençóis me devolvem a tranquilidade, que só era possível na casa de mãe e pai. Estou velho. Meu coração é um fogareiro e eu ainda penso na cantoria dos índios.

Não me pareço mais comigo.

Eu estava começando a ganhar outra vida, um lugar nas águas, mas a onda veio e levou meu sonho. Por amor, por adopção, porque sim, porque não.

Cumprimento os inconformados que às vezes conseguem ser alguma luz. Uma mocinha de maiô me encanta mais, do que a menina preta de biquíni amarelo.

Já estava voltando e olhei para o céu, cheio de nuvens engarrafadas, que as pessoas chamam de carneirinhos. Fiquei a fazer figas.

“Não sabes ser feliz, Sr. K”, disse a gaivota na vista de outros pássaros, que me conhecem ou pensam conhecer. Fiquei envergonhado. Quando dei por mim, já estava noutro voo e o pensamento na memória de Lupicínio Rodrigues.

Lá ficou a gaivota imaginária a ensaiar outro voo, como se eu fosse o seu Fernão Capelo Gaivota a chegar em casa e me encher das flores do jardim. Por amor, por um sonho, pela irrealidade, eu queria estar apaixonado.

O mar tem disso, mesmo que ao contrário: os pensamentos em plena ondulação, doideira de adolescente. Espuma na areia. Eu disparo. Eu me excito.

Se outro pescador aparecer na sua rua, não vá dizer meu nome sem ternura.

E lá vou eu e lá vai a gaivota na composição de uma canção.

Outros mil dias por outros mares, virão. Eu vou.

Tudo online, não tem quem aguente, né José?

Kapetadas

1 – Na minha bamba todo mundo é casa…

2 – A melhor maneira de se fingir de louco é dançando tango sozinho.

3 – Som na caixa: “Como as garrafas de náufrago/E as rosas partindo o ar”, João Bosco e Aldir Blanc

* Os textos dos colunistas e blogueiros não refletem, necessariamente, a opinião do Portal MaisPB

MaisTV

Prioridade é eleger Aguinaldo para o Senado, diz Ciro Nogueira

VÍDEO - 20/10/2021

Opinião

Paraíba

Brasil

Fama

mais lidas