João Pessoa, 21 de janeiro de 2021 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
SUPERLOTAÇÃO NA PANDEMIA

Vídeo: passageiros relatam medo e insegurança em ônibus de JP

Comentários:
publicado em 21/01/2021 às 12h00
atualizado em 21/01/2021 às 09h22
A- A+
Ônibus lotado em João Pessoa na pandemia da Covid-19 - Imagem: Reprodução

As empresas detentoras da concessão pública para o transporte de passageiros em João Pessoa insistem em ignorar a pandemia da covid-19. Somente em janeiro, a capital da Paraíba já registra 36 mortes em decorrência da doença.

Quem precisa de um ônibus para se locomover entre os bairros da cidade está exposto a aglomeração, falta de álcool em gel e ausência de fiscalização.

À MaisTV, canal de vídeo do Portal MaisPB, usuários relataram, nesta quarta-feira (20), o drama de entrar nos ônibus superlotados e frota reduzida em plena pandemia.

“Não me sinto seguro, não existe protocolo dentro dos ônibus, até o tubo de álcool que no começo tinha, não tem mais. Não há controle nenhum de pessoas, de distanciamento, nada”, disse Muniz, um usuário.

O autônomo Francinaldo Miranda também denunciou a falta de higienização nos veículos. “Não há higienização, superlotação, se você filmar os ônibus estão todos lotados, falta tudo, inclusive uma maior quantidade de ônibus disponíveis”.

O porteiro Ivanildo Lima disse que o risco de contaminação é constante. “Onde há aglomeração o risco é iminente, em um local fechado, como ônibus, o risco é maior”.

Autoridades se mobilizam em defesa do usuário e trabalhadores

Depois de denúncia no Programa Hora H, da  RedeMais Rádio, e no Portal MaisPB, o procurador do Trabalho, Eduardo Varandas, pediu na terça-feira (19) a abertura de inquérito para investigar a superlotação nos ônibus de João Pessoa, especialmente em horários de pico quando aglomerações internas do transporte público aumentam riscos de contaminação da covid-19.

Em ofício encaminhado à Procuradoria-Geral do Ministério Público do Trabalho na Paraíba (MPT-PB), Varandas detalha que “os transporte público (ônibus) permanecem com a frota reduzida” e que por isso os veículos “circulam lotados em horário de pico, em total descumprimento às normas de segurança sanitária e biológica, nomeadamente na situação de pandemia em que vivemos”.

O secretário de Mobilidade Urbana, George Morais, também prometeu  reunir e cobrar providências das empresas detentoras de concessões públicas em João Pessoa. A Semob vai avaliar o cumprimento dos protocolos celebrados entre o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de João Pessoa e a Prefeitura Municipal.

Assista ao vídeo 

MaisPB

error: Alerta: Conteúdo Protegido !!