João Pessoa, 10 de julho de 2020 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Diretor Institucional do SINTUR-JP de 1993 a 2016. Consultor em Administração e atual presidente da Academia Paraibana de Ciência da Administração. E-mail: admmariotourinho@gmail.com

Aos deputados estaduais, sobre a redivisão JP/Cabedelo

Comentários:
publicado em 10/07/2020 às 10h21
A- A+

Dias atrás, neste Portal, já escrevi sobre este tema, embora com títulos diferentes (“O caso do Shopping e a redivisão territorial JP/Cabedelo” e “Ainda sobre a territorialidade do Shopping JP/Cabedelo”). Para (re)lê os respectivos artigos é só os localizar nos arquivos deste mesmo Portal.

Desta feita, a argumentação que faço – para chamar a atenção quanto à importância e inadiabilidade da revisão territorial relativamente às cidades de João Pessoa e Cabedelo – mais se direciona aos deputados estaduais paraibanos, porquanto é a Assembleia Legislativa a instituição competente para tal redefinição.

E se de forma geral conclamo todos os membros da “Casa de Epitácio Pessoa” para debruçarem-se sobre este assunto, como a redimirem-se da quase omissão ocorrida quando da apreciação/votação da vigente Lei 11.259, de dezembro de 2018 – durante a qual não foi estimulada a participação das respectivas populações e/ou representações municipais – desta feita concito especialmente os deputados que têm mais intensa convivência e/ou envolvimento eleitoral com João Pessoa e/ou Cabedelo, a exemplo (na ordem alfabética) de Anísio Maia, Branco Mendes, Cabo Gilberto, Cida Ramos, Delegado Virgolino, Edmilson Soares, Eduardo Carneiro, Estela Bezerra, Felipe Leitão e Wilson Filho.

Mais que concitar, solicito que referidos parlamentares, em qualquer desses dias, pessoalmente percorram pelo menos parte da divisória alusiva aos municípios de João Pessoa e Cabedelo e constatem os absurdos ou anomalias existentes, em que – como expresso anteriormente – parte das lojas do Shopping Manaíra terem o endereço de João Pessoa e outra parte o endereço de Cabedelo; em pleno Retão de Manaíra, no lado oposto ao do Shopping de mesmo nome, haver o Centro Comercial Via Mar cujo endereço corresponde a Cabedelo; uma parte da avenida Tancredo Neves pertencer a Cabedelo, quando quem a projetou e construiu foi a Prefeitura de João Pessoa; parte de várias avenidas entre a BR-230 e a beira-mar pessoense (Washington Luiz, Nilo Peçanha, etc) vincularem-se ao município cabedelense.

O assunto é complexo?!… Sim, senhores! É complexo. Exige um amplo debate, próprio a uma Assembleia Legislativa competente, combatente e voltada ao interesse público! Exige um reestudo, cuja ação reiterará que nem a AL/PB nem seus membros são omissos.

error: Alerta: Conteúdo Protegido !!