João Pessoa, 03 de junho de 2020 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Médico nefrologista e professor universitário.

Vontade de ver de novo

Comentários:
publicado em 03/06/2020 às 09h41
A- A+

O tempo voa e as saudades insistem. Mas, o que é saudade.

Numa definição curta e grossa é a vontade de ver de novo. Numa definição mais elaborada, é a lembrança de pessoas ou coisas distantes ou extintas e o desejo de tornar a vê-las de novo. Isto desencadeia algumas vezes sentimentos de melancolia e tristeza, mas reaviva emoções e alegrias de um passado que não foi percebido com todo seu potencial pela imaturidade existencial da época e, portanto, incapacidade de fruir daquelas imagens e situações.

O tempo passa, mas as saudades ficam. Elas chegam cada vez mais nítidas nos momentos de reflexão. Minha família era numerosa e criar e educar 12 filhos foi uma tarefa hercúlea para minha mãe. Meus pais não tinham curso superior. Apenas minha mãe tinha alguma formação da escola normal daquela época.

Era uma professora sem nunca ter exercido a profissão. Meu pai trabalhou em grande parte de sua vida em Recife de segunda a sábado ajudando seu irmão que tinha uma empresa de caminhões. Ele gostava de Kombi, um carro grande que acomodava muitos passageiros e, para ele um transporte ideal.

Papai gostava de encher a Kombi com os filhos no domingo para fazer visitas às suas irmãs e outros parentes. Era ainda o tempo em que se fazia visitas o que não acontece hoje em dia. Mamãe caprichava nos banhos vestindo-nos com roupas “de sair” no dia do passeio. Ás vezes papai nos levava a Bayeux para visitar uns compadres que moravam num sitio que demandava até um rio que passava no final do terreno da casa.

Era uma ocasião de alegria e muita algazarra dos irmãos que se espalhavam até o rio. Outro passeio era ir até o Cassino da Lagoa para tomar sorvete. Curioso é que ainda hoje sinto um leve perfume de jasmim quando passo por traz do restaurante reavivando saudades e emoções despertando aquela vontade de “ver de novo”.

Tempos bons aqueles. Ainda não havia internet, DVD, e-mail nem Whatsapp que são os vícios da atualidade. As brincadeiras e divertimentos eram outros. As saudades são muitas e a “vontade de ver de novo” ressurgem fortemente.

error: Alerta: Conteúdo Protegido !!