João Pessoa, 22 de maio de 2020 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Diretor Institucional do SINTUR-JP de 1993 a 2016. Consultor em Administração e atual presidente da Academia Paraibana de Ciência da Administração. E-mail: admmariotourinho@gmail.com

O presidente com os governadores

Comentários:
publicado em 22/05/2020 às 11h45
A- A+

Com a realização da reunião (dia 21) do presidente Bolsonaro com os 27 governadores e a repercussão bem positiva a respeito da respectiva videoconferência, apressei-me em substituir o artigo anterior por estes novos escritos, vez que, naquele, eu lastimara as atitudes instigadoras de desarmonia entre os brasileiros, em que se carimbava uns de “esquerda” e os outros de “direita”. E lembrara a ponderação feita pelo ex-presidente FHC de que “não se governa uma nação escolhendo-se quem é do ´contra´”, e, sim – acrescento eu – com iniciativas estimuladoras da união de todos para o êxito das ações em favor, também, de todos.

Por parte do governador João Azevedo constato que, terminada a reunião, ele destacou que “foi extremamente respeitosa, propositiva e objetiva”, assimilando-a como um “avanço” para que, nesse ambiente de união, melhor se enfrente a crise alusiva à pandemia e à economia.

Em face deste cenário de união, todos somos chamados a colaborar… a torcer e agir para que o mesmo se consolide. E a melhor colaboração é proceder de forma a que nada em contrário ocorra. Por exemplo, mesmo que todos tenhamos a convicção de que foi boa a intenção do deputado estadual Ricardo Barbosa para que o ex-ministro da Saúde, Mandetta, profira palestra na ALPB sobre a atual pandemia do coronavírus, agora ela se mostra inoportuna, inclusive porque na própria justificativa já expõe certa indicação de “lado”, ao dizer: – “Esta pandemia revelou uma divisão na classe dos gestores/autoridades: os que se apequenaram nos debates/ações concretas e os que se agigantaram agindo sem arroubos políticos”, tendo concluído que Mandetta foi um dos gigantes.

De minha parte, pessoalmente, se conhecesse como diretamente fazer o encaminhamento de uma mensagem ao ex-ministro da Saúde, eu a ele sugeriria que adiasse essa sua vinda à Paraíba, isto em favor do Estado e de seu Governo, e em favor do Brasil. Que se aguarde um momento mais adequado para essa importante palestra que tem, claro, tanto cunho científico quanto político.

* Os textos dos colunistas e blogueiros não refletem, necessariamente, a opinião do Portal MaisPB

error: Alerta: Conteúdo Protegido !!