João Pessoa, 04 de março de 2016 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
ESTAVA JEJUANDO

Laudo aponta que neto de Chico Anysio morreu por afogamento

Comentários:
publicado em 04/03/2016 às 17h06
atualizado em 04/03/2016 às 14h23
A- A+

Rian Brito, de 25 anos, neto do humorista Chico Anysio, que teve o corpo encontrado nesta quinta-feira (4), estava jejuando há vários dias quando viajou para Quissamã, no norte do Estado do Rio, onde morreu por afogamento. A informação é da Delegacia de Descoberta de Paradeiros do Rio, que investiga o caso.

“Ele tinha o hábito de jejuar. Uma pessoa que estava jejuando há vários dias provavelmente não estivesse suficientemente nutrido”, disse a delegada Hellen Souto. Na avaliação de investigadores, a condição física de Rian pode ter colaborado para o afogamento – causa da morte atestada no laudo da Polícia Civil.

Não se sabe, entretanto, quanto tempo ele ficou na praia antes de entrar no mar e quanto tempo ele aguentou antes de se afogar, segundo a delegada: “Era o perfil dele, ele tinha esse hábito de jejuar, ele já estava jejuando há algum tempo, ele aguentaria, efetivamente, ficar muito tempo sem comer”.

Durante entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (5), na delegacia, que fica no Subúrbio do Rio, a delegada afirmou ainda que o rapaz estava preparando o lançamento de um CD, que era previsto para ontem. “Não havia motivo nenhum para que ele não estivesse aqui nesta data”, disse.

Segundo ela, ninguém da família conhecia a cidade de Quissamã, mas pelo perfil de Rian, acreditaram que realmente ele pudesse ter ido para lá. “Ele tinha o hábito e ir para esses locais jejuar. Os documentos foram achados no domingo pela manhã por uma família que estava acampando. “As roupas e os documentos estavam dobradinhos, extamente como a mãe dizia que ele fazia. Embora a praia seja muito bonita, tem um valão e imediatamente que entra tem uma correnteza que leva para a direção de Campos”, acrescentou a delegada.

Ainda segundo a delegada, no período em que o rapaz ficou desaparecido o Disque-Denúncia chegou a receber falsas informações de que ele teria sido visto em favelas e até em outros estados.

Investigações continuam, mas hipótese de crime está descartada
As investigações da polícia continuam. O computador de Rian passará por perícia, pois a polícia quer saber quais pesquisas e buscas ele fez na Internet antes de desaparecer.

“Foi uma saída voluntária e premeditada. Não há nenhuma hipótese de crime, pois ele deixou o telefone escondido em casa e inventou para a mãe que teria aula agendada na autoescola”, explicou a delegada.

Ainda segundo a polícia, Rian saiu do shopping Fashion Mall, onde fez um saque e R$ 500, às 13h18 e embarcou em um táxi, chegando na Rodoviária Novo Rio às 14h. “Ele foi direto para a sala de embarque, mas só embarcou no ônibus da 17h50, chegando em Quissamã no início da madrugada do dia 24”, disse Ellen, destacando que nenhuma pousada ou hotel da região hospedaram o jovem. A polícia acredita que ele tenha pego algum transporte até a região do parque e andado pela trilha por cerca de 5 quilômetros, até chegar a praia onde os documentos foram encontrados.

Por se tratar de uma praia deserta, foi possível identificar pegadas, compatíveis com as de Rian, na areia da praia e em direção ao mar, ao lado das roupas e dos documentos do rapaz.

De acordo com a polícia, a família de Rian aguardou a realização das buscas do aeroporto de Macaé e não entrou nas aeronaves que realizaram as buscas. “A Praia do Valão fica cerca de 25 quilômetros de onde os documentos foram encontrados. Um pescador acenou para a aeronave e visualizamos o corpo. Como nao havia nenhum registro de desaparecimento na região, acreditamos que poderia ser do Rian”, explicou a delegada, ressaltando que no caso de morte como foi a do Rian, é comum o corpo nao ser encontrado. “Já havia alertado à família para essa possibilidade. Quando um corpo some no mar, são, no máximo, 10 dias para aparecer”.

Funeral adiado

O funeral de Rian, inicialmente previsto para a tarde desta sexta-feira (4), foi cancelado pela família de manhã cedo. Segundo informações do cemitério Memorial do Carmo, no Caju, na Zona Portuária do Rio, o corpo de Rian seria velado na capela 1 e depois seguiria para a cremação.

O Cemitério São Francisco Xavier, que também fica no Caju, onde o corpo de Rian também poderia ser velado – seguindo o mesmo ritual fúnebre do avô, em 2012 – também informou que a reserva de capela foi cancelada.

Laudo

O laudo da necropsia realizada no corpo de Rian Brito, aponta como causa da morte asfixia por afogamento, como informou a Polícia Civil na noite desta quinta-feira (3). O corpo, encontrado pela manhã na areia da Praia de Flecheiras, no Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, em Quissamã, no Norte Fluminense, estava em estado avançado de decomposição. Segundo a polícia, a identificação só foi possível por meio de papiloscopia – exame que analisa as impressões digitais.

Parentes e amigos lamentam

Familiares e amigos da família de Rian Brito lamentaram a morte do jovem nas redes sociais.Malga di Paula, viúva de Chico Anysio, postou uma mensagem afirmando que Rian era um “menino de luz”.

“Seu avô certamente foi o anfitrião na sua chegada. Agora juntos, vão fazer poesias e compôr melodias para os anjos cantarem”, afirmou Malga na mensagem.

Bruno Mazzeo, tio do jovem, agradeceu as manifestações de afeto ao longo das buscas por Rian e definiu a última semana como “de angústia”.
O também ator André Lucas, também irmão de Nizo Neto, postou uma mensagem com fotos de Rian na infância e atuais, afirmando que ele já concluiu sua tarefa na Terra.

G1

error: Alerta: Conteúdo Protegido !!