João Pessoa, 14 de fevereiro de 2016 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
MAIS POBRE

Renda per capita do brasileiro diminui e se afasta de emergentes

Comentários:
publicado em 14/02/2016 às 10h57
atualizado em 14/02/2016 às 07h58
A- A+
Brasil está mais empobrecido

O Brasil tem empobrecido em comparação à média de seus pares.

Segundo estimativa do FMI, a renda per capita do brasileiro (medida em paridade do poder de compra) recuou de US$ 16,2 mil, em 2014, para US$ 15,7 mil, em 2015, o equivalente a 90% do rendimento médio dos 24 países considerados emergentes pela instituição. Esse é o menor patamar registrado desde o início da série histórica do Fundo, em 1980.

A paridade do poder de compra é uma medida usada em comparações internacionais, por refletir melhor o custo de vida dos países.

Mensurado dessa forma, o poder de compra do brasileiro esteve por muitos anos acima da média dos emergentes. Desde meados da década passada —com o forte avanço da renda em nações como China e Índia— a situação do Brasil em relação ao grupo passou a ser de equiparação.

Mas, com a forte desaceleração da economia brasileira nos últimos anos, o país tem sido deixado para trás.

O FMI espera que, em 2020, a renda per capita do Brasil (em PPC) atinja US$ 18 mil, o que representará pouco mais de 80% da média dos emergentes (US$ 21,6 mil), se a projeção se confirmar.

Outra forma muito usada por economistas para medir o retrocesso ou o progresso relativo de países rumo ao desenvolvimento econômico é comparar sua renda per capita (em PPC) com a de nações avançadas, como os Estados Unidos. Nessa comparação, o Brasil também retrocede.

O poder de compra do brasileiro chegou a equivaler a quase 40% do americano no início dos anos 1980. Com a crise econômica, recuou bastante na década seguinte, para patamar inferior a 30%. Voltou a se recuperar no fim da década passada, mas essa tendência não se manteve.

O FMI espera que a renda per capita do país fique estagnada ao redor de 27% da americana nos próximos anos.

Coreia do Sul e Taiwan são exemplos de países que conseguiram se desenvolver. Com renda per capita equivalente a 65% e 85% da americana, respectivamente, são consideradas nações avançadas pelo FMI. O salto que tiveram nas últimas décadas foi expressivo. Em 1980, esses percentuais eram de 17% e 32%.

UOL

error: Alerta: Conteúdo Protegido !!