João Pessoa, 12 de dezembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Legados de covardia

Comentários:
publicado em 26/07/2011 às 09h42

O ato repulsivo do advogado João Dantas, que fez do ex-presidente João Pessoa um mártir da história política paraibana, deve ser sempre repudiado. Não é com revólver em punho ou utilizando do arroubo físico que se recupera a honra vilipendiada.

João Dantas errou. Sujou as mãos e sua biografia de sangue. Mas a história mostra que o propulsor da Revolução de 30 também enveredou pela obscuridade, embora essa mesma história privilegie a versão épica de João Pessoa.

Nas homenagens pela morte do ex-presidente da Paraíba, em memória de seu nome e contribuição ao Estado, não se pode, porém, fazer vista grossa ao deslize grosseiro cometido por um homem que chegou ser candidato a vice-presidente.

Obstinado pelo objetivo de desmoralizar de qualquer forma um adversário e desafeto político, João Pessoa, responsável por rupturas no modelo de governo da época, utilizou a força de seu próprio Governo para fins pessoais e nada republicanos.

Relatos históricos apontam a responsabilidade do então presidente pela operação policial que invadiu o escritório particular de João Dantas, recolheu documentos comprometedores da vida privada do advogado e sua amante, Anayde Beiriz, e escancarou as intimidades do casal na imprensa oficial.

Se Dantas entrou para a história pelo gesto frio e imperdoável do assassinato do seu inimigo, João Pessoa maculou sua trajetória com um gesto próprio dos covardes. Dois maus exemplos: um no campo da consciência privada e outro na vida pública.

Sucessão… –
O manifesto público do poeta Ronaldo Cunha Lima era um sinal de forte valor simbólico esperado pelo deputado Romero Rodrigues (PSDB).

… Em Campina –
“Recebo com alegria pelo exemplo de bom gestor. Essa referência aumenta a minha responsabilidade com Campina Grande”, comentou Romero.

Candidatura própria em Campina Grande –
O presidente municipal do PT campinense, Alexandre Almeida, contacta a coluna para desfazer insinuação do superintendente do Sebrae, Júlio Rafael, para quem o partido só defende candidatura própria em João Pessoa. “Ele está mal informado das atividades partidárias. O nosso diretório já decidiu por candidatura própria há dois meses”.

Leque petista na Rainha da Borborema –
Alexandre aproveitou para registrar que tanto ele como o vereador Peron Japiassú e o médico Renato Gadelha figuram entre as opções do PT. Os petistas campinenses ainda contam com o fator de Veneziano poder optar por várias candidaturas no 1º turno.

Sucessão na UFPB, Polari e Margareth –
O reitor da Universidade Federal da Paraíba, Rômulo Polari, disse ontem respeitar a candidatura adversária de Margareth Formiga, mas considerou equivocada a postura de externar na mídia matérias e assuntos em deliberação nas instâncias da instituição.

Carona –
Após o lançamento do Brasil Sem Miséria em Arapiraca, o governador Ricardo voltou à Brasília no jatinho da FAB com a presidente Dilma.

Sugestão –
Nas Alagoas, Ricardo defendeu a inserção de metas e índices no Brasil Sem Miséria e citou o exemplo da Contrapartida Social da Paraíba.

Amortização –
Instigada por Ricardo e Teotônio Vilela, governador de Alagoas, a presidente prometeu rever as dívidas dos dois estados, as maiores do país.

Na bandeja –
O destino dos infiéis do PMDB será decidido no apartamento do deputado Raniery Paulino, onde os fiéis vão jantar a cabeça dos colegas.

Fome – O maior apetite da reunião será o de Gervásio Filho, ávido pela saída de Márcio Roberto do seu caminho. Na Assembléia e em São Bento.

Descartado –
“Quiseram me encaminhar para a Guarda Municipal sem falar comigo”, desabafo do magoado ex-vereador comunista Watteau Rodrigues.

Naturalmente –
Chegou à nossa ágora o Partido Ecológico Nacional. Pelas dificuldades de registro, há quem diga que só um sendo “animal” para se filiar…

Questão de estilo –
Nem voltou do recesso, a vereadora Eliza Virgínia (PSDB) já está acusando os colegas de subserviência no processo de mudança do Regimento.

Pronto pra guerra –
O líder do Governo, Bruno Farias (PPS), se diz preparado para o bombardeio prometido pela Oposição. “Ele só sabem repetir a mesma coisa”.

Lei Seca neles –
Foi só a sociedade cobrar e o Detran-PB anunciou medidas para frear os imprudentes. O órgão vai comprar equipamentos de última geração.

PINGO QUENTE – “Já vi antecipar feriado, mas ponto facultativo é demais”. Do vereador Tavinho Santos (PTB), que já viu de tudo nos bastidores, mas estranhou a antecipação do expediente no aniversário da morte de João Pessoa.

 

Leia Também