João Pessoa, 28 de junho de 2022 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
saúde

PB vai integrar plano piloto nacional para combate ao tabagismo

Comentários: 0
publicado em 28/06/2022 às 09h46
atualizado em 28/06/2022 às 08h17

A Paraíba passa a integrar, a partir desta terça-feira (28), um plano piloto para fortalecimento do Programa Nacional de Controle do Tabagismo, do Instituto Nacional do Câncer (Inca). Na Paraíba, as ações serão conduzidas pelo Comitê de Combate ao Tabagismo da Associação Médica Brasileira (AMB-PB), que é formado por organizações e instituições de saúde. A Unimed João Pessoa integra o grupo.

O projeto procura reduzir a prevalência de fumantes no Brasil a partir de ações educativas. A Paraíba representará o Nordeste no plano, que deverá contar também com a participação dos estados das outras regiões do país.

Nesta terça, serão realizadas duas reuniões para discutir os próximos passos do plano, com a participação de representantes do Inca, da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e do Comitê de Combate ao Tabagismo da AMB. Pela manhã, o encontro terá início às 9h, na sala de reuniões da AMB-PB; à tarde, a partir das 14h, no auditório do Conselho Regional de Medicina.

Cigarro eletrônico

Na manhã desta terça, o encontro debaterá o foco do projeto, que, de olho em uma nova realidade, direciona atenção não apenas para usuários do cigarro tradicional, mas para outro público: os usuários do cigarro eletrônico.

Presidente do Comitê de Combate ao Tabagismo da AMB-PB, o pneumologista e alergologista Sebastião Costa, médico cooperado da Unimed João Pessoa, explica que o programa realizará um trabalho mais direcionado ao público jovem. Isto porque o número de adeptos do cigarro eletrônico tem crescido e se concentrado entre adolescentes e jovens adultos.

De acordo com o médico, 20% dos jovens brasileiros utilizam cigarro eletrônico, porque há uma ideia de que não faz mal. “Mas, além de causar doenças graves, este tipo de cigarro, assim como o cigarro tradicional, possui nicotina, substância que pertence ao mesmo grupo de psicoativos como a cocaína”, alerta Sebastião Costa ao destacar que a nicotina também contribui para o desenvolvimento de hipertensão arterial e outros males.

MaisPB