João Pessoa, 18 de novembro de 2021 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
Lançamento

Cantora mineira Laura Jannuzzi lança segundo disco nesta sexta-feira com participação de Ney Matogrosso

Comentários:
publicado em 18/11/2021 às 16h15
atualizado em 18/11/2021 às 13h20
A- A+

 

Kubitschek Pinheiro com Sensorial  Centro de Cultura

A novidade é que a cantora mineira Laura Jannuzzi, reconhecida por sua voz marcante e por suas composições poéticas, capaz de nos transportar para o nosso interior, está lançando o segundo álbum da carreira, “Sede da Manhã”, em todas as plataformas digitais, nesta sexta-feira (19) pelo selo Sensorial Centro de Cultura. No mesmo dia, a artista disponibiliza o single “Sete-Luas”, com a participação especial de um dos maiores artistas da música brasileira, Ney Matogrosso.

A canção “Sete-Luas” ganhou um clipe gravado no Malibu Studios, no Rio de Janeiro, com a direção e montagem de Ananda Banhatto e Leandro Mockdece. Além de Laura Jannuzzi e Ney Matogrosso (vozes), participaram da gravação os músicos Lautaro Mchaux (piano), Paulo Monarco (guitarra) e Raul Misturada (produção musical, arranjos, programações e direção).

Laura revelou como foi gravar com uma de suas maiores referências na música: “O Ney Matogrosso teve uma importância muito grande na minha formação musical. Meu primeiro contato com a música veio dos meus pais, que tinham diversos discos do Ney. Ele sempre foi uma referência de artista pra mim. Gravar com ele foi uma experiência incrível. ”, conta.

No álbum “Sede da Manhã” a cantora mostra ao público um trabalho mais denso e maduro, evidenciado por canções potentes em subjetividade e qualidade estética e poética. As vozes são sussurradas, quase que ao pé do ouvido de quem escuta, o som do piano de parede tem o ruído percussivo das teclas amplificado, que faz parecer que o ouvinte está de fato ao lado do instrumento. Isso tudo gera uma atmosfera low-fi no disco, onde os ruídos são valorizados tanto quanto os instrumentos.

Com a produção musical e arranjos do experiente Raul Misturada, o álbum traz 7 faixas que exaltam as parcerias de Laura Jannuzzi, como “Dundun” e “Sete-Luas” (Laura Jannuzzi e Juliana Stanzani), “Junto Só” (Laura Jannuzzi e Clara Castro), “Temporal” (Laura Jannuzzi e Nêga Lucas), “Sede da Manhã” (Laura Jannuzzi e Pablo Quaresma) e “Vulcão e Cometa” (Laura Jannuzzi e Dudu Costa), além da regravação de “Hoje” (Taiguara). O disco “Sede da Manhã” traz também as vozes de César Lacerda e Clara Castro em participações especiais.

“A ideia de gravar esse disco surgiu do meu encontro com Raul Misturada. Ele diz exatamente o que eu quero dizer hoje, e retrata toda minha caminhada pra chegar até esse resultado, como compositora, cantora e pesquisadora. Estou muito feliz com o resultado e super ansiosa para deixar a música voar pra que todos possam ouvir e conhecer um pouco do meu universo.”, diz Laura. E completa: “Consigo enxergar nesse disco minha referência na música mineira, na música de Milton Nascimento, músicas que nos transportam para dentro de nós.”.

 

Recentemente, Laura disponibilizou dois singles e clipes desse novo trabalho: “Temporal”, uma parceria da artista com a cantora e compositora Nêga Lucas, que ganhou um clipe com a assinatura do coletivo Grilla!, coprodução do O Andar de Baixo, direção de Pri Helena, fotografia e captação de imagem de Filipe Fontes e direção de arte de Rebeca Figueiredo. Assista aqui: https://youtu.be/RYcXtu56hNY.

E “Sede da Manhã”, faixa-título do álbum, com a participação do cantor e compositor César Lacerda. A canção ganhou um vídeo que revela uma diversidade de linguagens, ilustrações e técnicas de animação. Assinam o vídeo o coletivo Inhamis (Lucas Borges, João Pedro Castanheira, Fernanda Roque, Amanda Pomar e Francisco Franco), direção de Amanda Pomar, codireção de Mia Mozart e fotografia de Caio Deziderio. Assista aqui: https://youtu.be/51NTc8TbdhY.

Mais sobre Laura Jannuzzi

Nascida em Palma, no interior de Minas Gerais, Laura construiu sua carreira guiada pelos encontros. Através de parcerias com compositores, artistas e instrumentistas de diversas gerações, foi reunindo ao longo dos anos um considerável repertório autoral, que se destaca pela originalidade e versatilidade de suas composições. Alguns artistas que gravaram suas músicas: Clara Castro, Carol Serdeira, Imbapê, Nêga Lucas, Alice Santiago, Tata Chama e as Inflamáveis, entre outros.

Desde 2004, a cantora mora em Juiz de Fora (MG), cidade que começou a trabalhar profissionalmente com música. Foi no “Encontro de Compositores”, evento mensal que reúne artistas para exposições curtas de suas canções, que Laura conheceu boa parte da cena autoral da cidade. Acompanhada por guitarra, bateria, teclados e percussão, ou sozinha com seu violão, a artista oferece um show sutil e profundo, no qual poesia e musicalidade são igualmente primordiais.

Laura participou de diversos festivais e ganhou prêmios, como Melhor Canção, no Festival de Música Popular Livre (Barbacena, MG, 2016), foi selecionada entre milhares de artistas para Fenac – Festival Nacional da Canção (2013) e Fun Music Festival (Uberlândia, MG, 2013 e 2016), para a Mostra FEMUCIC (Maringá, PR, 2016), para o Web FestValda (Rio de Janeiro, Fundição Progresso, 2016), recebendo menção honrosa na lista do Prêmio Melhores da Música Brasileira ed. 2017 do Embrulhador e ficando entre os semifinalistas do Prêmio Profissionais da Música 2017 (PPM), na categoria autora/compositora.

Sua estreia no mercado fonográfico foi em 2016, com o lançamento de seu primeiro disco, “Ondes” (Tratore), álbum que registra os primeiros passos de uma história perpassada por muitos lugares. Iniciando um novo ciclo, atualmente a cantora se prepara para apresentar o amadurecimento de seu trabalho em “Sede da Manhã”, registro do que se vê além nesse caminho.

MaisTV

Capital fará busca ativa por não vacinados contra Covid-19

VÍDEO - 03/12/2021

Opinião

Paraíba

Brasil

Fama

mais lidas