João Pessoa, 26 de outubro de 2021 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
acidentes

Eletricidade causou seis mortes na Paraíba este ano

Comentários:
publicado em 26/10/2021 às 08h34
A- A+
Foto: Freepik

Dados da Energisa na Paraíba mostram que, de janeiro a setembro deste ano, 11 acidentes aconteceram por causa de contato da população com a energia elétrica. Desses, 6 foram fatais.  Os números preocupam a concessionária, que tem atuado com ações preventivas para evitar que esse cenário se repita nos próximos meses deste ano. Para isso é muito importante que todos conheçam os cuidados necessários ao estar perto de uma rede energizada.

Entre as principais causas de acidentes com energia elétrica registrados no estado, estão contato acidental com redes de energia através de vergalhão e ou rolo de pintura (construção civil), construção de edificação embaixo da rede, intervenção indevida na rede, cabo partido ao solo, maquinário agrícola na rede de distribuição de energia elétrica e caçambas de caminhão que são levantadas sem que o motorista observe se há rede nas proximidades.

Heitor Galdino, coordenador de Saúde e Segurança da Energisa na Paraíba, explica que todo o cuidado é pouco quando falamos de energia elétrica. Como não é possível ver onde a energia passa, algumas pessoas esquecem o perigo que é trabalhar perto da rede sem com os equipamentos de proteção necessários ou sem seguir as regras de segurança existentes.

“Quando estamos próximos à rede elétrica temos que seguir todas as regras de segurança para evitar choques elétricos. A Energisa tem feito orientações em visitas a obras, escolas, em blitzes de segurança, nas redes sociais da empresa, em campanhas ou pela imprensa para levar o máximo de informação à população. O que sempre reforçamos como prioridade é que, se a população avistar um cabo partido, não se aproxime dele ou se precisar de algum serviço próximo à rede, que entre em contato conosco”, explica Heitor.

Segundo o coordenador, muitas vezes é o excesso de confiança que leva algumas pessoas a tentarem intervenções na rede elétrica ou próximas a ela sem os cuidados necessários. Soltar pipas perto da rede elétrica, ajeitar a antena de casa ou até mesmo uma pintura na faixada do comércio sem o devido cuidado pode ser fatal. “Ocorrência com construção civil envolvendo redes de energia são recorrentes aqui na Paraíba. O construtor precisa conhecer as distâncias de segurança dos condutores até a sua construção e se atentar principalmente com o manuseio de equipamentos. A rede da Energisa segue as normas técnicas de altura e distâncias de edificações, previstas para o setor, ao ser instalada. Se essa distância for desrespeitada e esses cuidados não forem tomados, acidentes podem vir a ocorrer”, alerta Galdino.

Ele revela que há pequenos cuidados que podem ser tomados para evitar os acidentes com a rede elétrica. Conheça alguns:

– Não mexa na rede de distribuição de energia. Somente eletricistas da equipe da Energisa ou a serviço da empresa podem intervir na rede da Energisa. Ao mexer, a pessoa está se colocando em risco e levando perigo para quem estiver nas redondezas;

– As cercas de arame devem ter seccionamento e aterramento (antes e depois), sempre que estiverem localizadas sob a rede elétrica. Quando a cerca for paralela à rede elétrica, deverá ser seccionada a cada 250 metros;

– Mantenha distância segura da rede elétrica (cerca de 2 metros), principalmente ao movimentar materiais metálicos, como barras de ferro e arames;

– Ao realizar pintura de fachadas, evite o uso de extensores nos cabos, pois eles poderão se aproximar ou tocar a rede elétrica;

– Cuidado ao manobrar caminhões perto da rede elétrica; verifique a altura do caminhão e da rede e evite descarregar materiais debaixo da rede elétrica;

– Ao instalar ou consertar antenas, escolha um lugar afastado dos fios, observando quando o tempo estiver bom, sem chuva. Caso a antena caia na fiação, nunca tente segurá-la ou recuperá-la;

– Certifique-se de que as instalações elétricas não estão danificadas e que são dimensionadas para a carga elétrica instalada. Assim se evitam acidentes com choques e risco de incêndios por curto-circuito.

MaisPB