João Pessoa, 28 de dezembro de 2020 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Diretor Institucional do SINTUR-JP de 1993 a 2016. Consultor em Administração e atual presidente da Academia Paraibana de Ciência da Administração. E-mail: admmariotourinho@gmail.com

A maior cobrança pra Cícero, Vitor Hugo e João (III)

Comentários:
publicado em 28/12/2020 às 06h40
A- A+

As duas primeiras partes deste texto foram postadas, respectivamente, nos dias 7 e 10 deste mês de dezembro. E agora, prestes a receber de uma das assessoras de Cícero Lucena (Alessandra) a confirmação quanto a possibilidade da presença do referido novo prefeito em uma reunião ao estilo “café da manhã” no Restaurante Bessa Brasil (obviamente em um horário exclusivo para tal evento e limitado a apenas 20 participantes que devem obedecer aos protocolos sanitários e de distanciamento social próprios a este tempo de pandemia), é pertinente que voltemos a referirmo-nos às cobranças (naturais) que estão sendo feitas aos novos dirigentes municipais da Região Metropolitana, particularmente em relação à área da beira-mar do Bessa que se interliga à de Intermares. Daí, o assunto que se pretende expor a Cícero Lucena, na reunião com ele e a ele pleiteada, ser concernente, também, à Prefeitura de Cabedelo e ao Governo do Estado.

Durante a campanha eleitoral muito se ouviu, de Cícero Lucena, a reafirmação de seu compromisso no sentido de que as realizações levadas a efeito pelas gestões anteriores merecerão a devida atenção, portanto preservando-se o que esteja bom e corrigindo-se o que eventualmente contenha alguma falha, isto “para ficar melhor”. Destacou, igualmente, que as artérias da beira-mar precisam, em relação a elas, conferir-se um olhar uniforme, em toda sua extensão, desde a Ponta do Seixas até ao final do Bessa (limite territorial com a beira-mar de Intermares/Cabedelo)… e não só se realizar melhorias na beira-mar do Cabo Branco/Busto de Tamandaré!

Pois, bem! A beira-mar do Bessa, correspondendo aos 1,3 mil metros da avenida Arthur Monteiro de Paiva, o que nela foi feito… faz tempo!… Tanto tempo que dos 14 postes de pequena altura, que marcavam o distanciamento de 100 em 100 metros para orientação aos que diariamente ali caminham, desses postes só ainda existem três ou quatro. Os outros “a maresia comeu!”. Quanto às luminárias lá existentes, pra não dizer que pouco iluminam, preferível enfatizar que as de Intermares são bem melhores e, se comparadas às do Cabo Branco… aí é que “é humilhação”!

Há, portanto, especial expectativa por parte dos organizadores desse “café da manhã” (previsto para o Restaurante Bessa Brasil) quanto à informação, a ser dada pela assessora Alessandra, relativamente à presença do prefeito eleito de João Pessoa, Cícero Lucena, a fim de que se possa repassar a outros convidados. Esta expectativa é ainda maior, positivamente, pelo fato de tratar-se de uma artéria bem conhecida pelo próprio Cícero Lucena, que, por essa beira-mar (e sua calçadinha) tantas vezes também já fez suas caminhadas matinais.

* Os textos dos colunistas e blogueiros não refletem, necessariamente, a opinião do Portal MaisPB

error: Alerta: Conteúdo Protegido !!