João Pessoa, 26 de junho de 2017 | --ºC / --ºC 05:56 - 2.6 | 12:09 - 0.1 | 18:28 - 2.4 Dólar 3,33 - Euro 3,74

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Desde 1993 exerce as funções de Diretor Executivo da AETC-JP. Contato: diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

PI para transporte e trânsito (II)

Comentários:
publicado em 06/03/2013 às 10h31
A- A+

Na primeira parte deste texto focamos, resumidamente, três reportagens sobre transporte e/ou trânsito veiculadas entre os dias 2 e 3 de março corrente, especificamente na mídia impressa: no Correio da Paraíba, no Jornal da Paraíba e na revista A Semana.

Terminando aquela primeira parte do texto, escrevemos: Para concluir, cumpre-nos destacar que a sigla PI, constante no título destes escritos (que incorretamente saíra “inscritos”), corresponde a Planejamento Integrado, assunto necessário nestas reflexões sobre transporte e trânsito, que, por falta de espaço, trataremos proximamente.

Pois, bem! Tratemos sobre Planejamento Integrado (PI) que se insere no título destes escritos sobre transporte e trânsito:
– Várias vezes assinamos artigos em que lamentamos não contarmos, nem no contexto do país nem do da Paraíba, com uma prática de efetivo planejamento integrado, em que as três esferas de governo (a federal, a estadual e a municipal) estejam juntas em uma mesma mesa ou em uma mesma sala ou auditório para discutirem e buscarem a integração de suas ações, consequentemente melhor viabilizá-las e dar-lhes efetividade.

Aqui na Grande João Pessoa há anos que vemos uma obra parada ou semi-parada: é a daquele acesso da BR-230 ao Aeroporto Castro Pinto. Segundo informações, é a Prefeitura de Bayeux a responsável por sua execução, utilizando recursos do Governo Federal. Mas, um acesso desse tipo, especialmente este ao Aeroporto Castro Pinto que nas madrugadas por ele se passa com medo face a tamanha escuridão (desde Oitizeiro) e de dia percebe-se a feiúra do trecho, era (e é) – por interessar a todos quantos trabalham e/ou residem na Grande João Pessoa – para ser uma ação conjunta de Bayeux, Cabedelo, Santa Rita e Conde, além, claro, da Capital paraibana e, óbvio, do Governo do Estado, valendo-se também dos recursos federais. E, se assim fosse, essa obra, mesmo que só agora retomada, ficaria pronta dentro de três ou quatro meses! Mas…

No caso específico do transporte e trânsito de João Pessoa, sabemos que o órgão diretamente responsável é a SEMOB. Isto, porém, não proíbe que esses assuntos sejam apreciados conjuntamente com o DETRAN, com o DER, com o BPTRAN, como exemplos. E que haja reciprocidade, ou seja, que o DER ao traçar projetos de infra-estrutura no âmbito territorial de João Pessoa, que busque a SEMOB e/ou SEPLAN-JP. Isto é necessário, indispensável até! Agora mesmo, recentemente, tivemos as notícias de que o Governo do Estado, com apoio do Governo Federal, construirá o Túnel (ou Trevo) de Mangabeira, para desafogar o trânsito naquela área em torno da CEHAP. Ao que sabíamos, bem nas proximidades dessa nova obra a Prefeitura de João Pessoa previra a construção de uma das Estações relacionadas ao projeto de instalação do Sistema BRT, aqui na Capital. Ou havíamos entendido diferente do que fora mostrado ou, neste caso, estaria faltando integração, entre Estado e Município, no planejamento para desafogar o trânsito nesta cidade!
 

Leia Também