João Pessoa, 09 de maio de 2012 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
CPI

PSDB pede ao STF fim do sigilo de inquérito sobre Demóstenes

Comentários:
publicado em 09/05/2012 às 20h19
A- A+

 O deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) protocolou nesta quarta-feira (9) requerimento no Supremo Tribunal Federal em que pede a quebra do sigilo do inquérito que investiga o elo do senador Demóstenes Torres (DEM-GO) com o bicheiro Carlinhos Cachoeira. Sampaio é integrante titular da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) criada no Congresso para apurar o envolvomento do bicheiro com políticos e empresários.

Na semana passada, a CPI recebeu do ministro do STF Ricardo Lewandowski o inquérito da Operação Vegas, que investigou esquema de jogos ilegais em Goiás e já apontava ligações entre Demóstenes e Cachoeira. O acesso ao inquérito está restrito aos integrantes da comissão porque o caso tramita sob segredo de Justiça.

Para evitar vazamentos, o presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), determinou que a consulta aos documentos só pode ser feita em uma sala do Senado monitorada por câmereas de segurança, que foi alvo de reclamações entre integrantes da comissão.

No pedido de quebra de sigilo, Carlos Sampaio argumenta que o inquérito já vazou para a imprensa. "Ocorre que, na prática, o sigilo não mais existe, pois, todo o procedimento investigatório da Operação Vegas foi disponibilizado através da internet. Ou seja, hoje, toda a sociedade brasileira tem pleno acesso às informações constantes do inquérito supracitado. Logo, claro está que inexistem razões de fato a justificar a manutenção do sigilo, tal como determinado por Vossa Excelência quando do envio dos autos à CPMI", afirma o deputado no pedido.

A assessoria do PSDB informou que pedirá à Justiça Federal de Goiânia, ainda nesta quinta (9), a quebra do sigilo da Operação Monte Carlo, que tramita na 11ª Vara Federal do estado e também investiga a quadrilha de jogo ilegal comandada por Cachoeira.

Por causa do sigilo dos inquéritos, a CPMI realizou nesta terça (8) sessão fechada para ouvir o depoimento do delegado Raul Alexandre, que comandou a Operação Vegas. Enquanto o delegado respondia a perguntas, alguns parlamentares deixaram a sala criticando o depoimento fechado.

"Fazer uma sessão secreta dá um tom de sigilo a um assunto que não é mais sigiloso. É ridículo", disse o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE). O deputado Miro Teixeira (PDT-RJ), também criticou o depoimento fechado. "Delegado, quero te informar que tudo o que for dito nessa sala vai vazar. E vão vazar versões. Vai ser um horror", afirmou.

G1

error: Alerta: Conteúdo Protegido !!