João Pessoa, 14 de janeiro de 2022 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
em são paulo

Indígena é a 1ª criança vacinada contra Covid

Comentários:
publicado em 14/01/2022 às 12h41
atualizado em 14/01/2022 às 10h41
A- A+

Um indígena de oito anos foi a primeira criança a tomar a vacina contra Covid-19 no Brasil. Davi Seremramiwe Xavant recebeu a primeira dose do imunizante em São Paulo no início da tarde desta sexta-feira (14).

Na Paraíba, a expectativa é que a partir deste sábado comece a imunização. As vacinas desembarcaram no estado no Aeroporto Castro Pinto no fim da manhã e serão distribuídas aos municípios a partir deste sábado (15).

Mãe de Irã Filho, Aline Lima não esconde a ansiedade para vacinar o garoto, que no ano passado foi diagnosticado com a Covid-19.

“Vou vacinar meu filho, porque tem que proteger nossos filhos, nossas crianças. Tem que tomar a vacina para não termos mais consequências na frente. Ele já teve a Covid e eu fiquei muito triste, ainda bem que não afetou muito ele, mas graças a Deus chegou a vacina para meu filho tomar”, disse Aline à Rede Mais.

Imunização começa neste fim de semana 

Para esta primeira etapa, por recomendação do Ministério da Saúde, a vacina será usada para quem possui deficiência permanente ou comorbidades, crianças indígenas e quilombolas. À medida que a vacinação for avançando, devem ser incluídas as que vivem em lar com pessoas com alto risco para evolução grave de Covid-19.

De acordo com a coordenadora do Núcleo de Imunizações, Isiane Queiroga, a vacinação deste público será realizada em salas separadas da vacinação do adulto e que os municípios utilizem estratégias que respeitem as orientações da Anvisa. A dose aplicada é reduzida, 1/3 da dose normal.

“Antes da vacinação foram executados estudos pelo próprio laboratório com mais de 2.700 crianças. Sem nenhum evento adverso grave, os resultados garantem que a vacina da Pfizer é segura para esta população. É importante que os pais e/ou responsáveis levem suas crianças para vacinar, no sentido de proteger essa população, uma vez que uma nova variante começou a circular no estado”, pontua.

MaisPB