João Pessoa, 30 de abril de 2021 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
CABEDELO

Denunciado pelo Gaeco, Vitor Hugo se diz inocente

Comentários:
publicado em 30/04/2021 às 17h30
atualizado em 30/04/2021 às 17h47
A- A+
Vitor Hugo (DEM), prefeito de Cabedelo

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) pediu a perda do mandato do prefeito de Cabedelo, Vitor Hugo (DEM). O gestor é alvo de uma nova denúncia oferecida pelo Grupo de Operações Especiais de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) à Justiça no âmbito da Operação Xeque-Mate.

A denúncia leva em conta um possível esquema de fraude nas contratações de servidores fantasmas na Câmara Municipal de Cabedelo.

O prefeito disse que respeita a posição do MP, mas acredita na Justiça.

“Todos os vereadores têm direito, por lei, a seus assessores. Assim, à época que eu era vereador, também tinham o direito e eles trabalhavam à disposição do meu gabinete”, disse o gestor.

Além de Vitor Hugo, são alvos da a acusação o ex-prefeito Leto Viana, a ex-primeira-dama Jaqueline França, os ex-vereadores Lúcio José do Nascimento, Antônio Bezerra do Vale Filho, Francisco Rogério Santiago Mendonça, Belmiro Mamede da Silva Neto, Rosivaldo Alves Barbosa, Tércio de Figueiredo Dornelas Filho, Júnior Datele, Antônio Moacir Dantas Cavalcanti Júnior, Reinaldo Barbosa de Lima e Fabiana Maria Monteiro Régis, além de Leila Viana, André Franklin, Gleuryston Vasconcelos Bezerra Filho, Adeildo Bezerra Duarte, Lindiane Mirella Alves de Medeiros e Marlene Alves da Cruz.

“Em linhas gerais, o esquema consistente no reiterado cometimento de crimes de Peculato-Desvio no seio da Câmara Municipal, por intermédio de funcionários fictícios, dependia da prática orquestrada, por vários atores, de um conjunto de atos finalisticamente relevantes para a consumação de cada um dos delitos, garantindo-se o sucesso da empreitada criminosa”, diz a peça.

A investigação mostrou que enquanto Lúcio José do Nascimento era presidente da Câmara de Vereadores, a Casa “funcionava como órgão público cuja folha de pagamento mensal era usada para o desvio de dinheiro público através de funcionários fantasmas, encontrando-se, inclusive, em situação de subserviência aos interesses de Leto Viana, bem como de outros membros da empresa criminosa”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Acusações contra o atual prefeito 

A Polícia Federal e o Ministério Público acreditam que atual prefeito de Cabedelo, Vitor Hugo (DEM), efetivamente integrou o referido grupo criminoso e cometeu diversos delitos.

Deduz-se facilmente dos fatos criminosos confessados pelo comandante LETO VIANA, no trecho de declarações, que o increpado VITOR HUGO não somente era membro da empresa criminosa telada, como também recebeu dinheiro ilícito, dolosa e continuamente, desde o inicio do seu mandato, para integrar a base de apoio daquele no Poder Legislativo cabedelense”

Segundo a investigação, assim como os outros vereadores que integravam a base aliada de Leto, Vitor tinha uma um funcionário fantasma nos quadros da Prefeitura de Cabedelo com salário de R$ 5 mil

Na tarde desta sexta-feira (30), Vitor Hugo afirmou que recebeu a denúncia com “surpresa, mas também com tranquilidade, acreditando e respeitando na Justiça”.

O que pede o MPPB

O Ministério Público pediu que a Justiça recebesse a denúncia e em seguida aplique a perda de cargo, emprego, função pública ou mandato eletivo dos denunciados e a reparação de R$ 5,1 milhões, montante referente à operação de contingência narrada na denúncia.

MaisPB

MaisTV

Prefeitura construirá edifício garagem no Mercado Central

VÍDEO - 19/10/2021

Opinião

Paraíba

Brasil

Fama

mais lidas