João Pessoa, 24 de agosto de 2019 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
CADEIRA 27

Roberto Cavalcanti toma posse na APL

Comentários:
publicado em 24/08/2019 às 00h35
atualizado em 24/08/2019 às 09h56
Roberto Cavalcanti, novo "imortal" da Academia Paraibana de Letras

O empresário e ex-senador Roberto Cavalcanti tomou posse, na noite desta sexta-feira, na Academia Paraibana de Letras. Ele passar a ocupar a cadeira de número 27 na vaga do cronista Carlos Romero. A solenidade de posse reuniu autoridades, intelectuais, jornalistas e foi marcada pela emoção do empossado durante seu primeiro discurso.

No seu pronunciamento, Cavalcanti começou citando o jornalista e empresário Assis Chatebriand,  paraibano de Umbuzeiro, precursor da televisão no Brasil e fundados dos Diários Associados, um dos maiores conglomerados de comunicação da história do país.

Roberto discorreu sobre sua migração de Recife (PE) para empreender na Paraíba, narrou fatos familiares, como a convivência com seu pai, Renê Ribeiro, médico e antropólogo, e contou parte de sua saga em terras paraibanas quando montou uma indústria de plástico e depois adquiriu o Jornal Correio da Paraíba, embrião do que é hoje o Sistema Correio de Comunicação.

O novo ‘imortal’ se emocionou e foi às lágrimas em dois momentos: ao se referir a morte simultânea dos pais, vítimas de acidente automobilístico, e ao mencionar o nome do acadêmico Antônio Sobrinho, ex-reitor da Universidade Federal da Paraíba, falecido no último dia oito.

Cavalcanti ressaltou a satisfação de passar a “fazer parte de um seleto grupo que tem a responsabilidade de proteger o legado de autores paraibanos e da cultura, além de repassar para as novas gerações”.

Citou, entre um raciocínio e outro, nomes de aclamados escritores paraibanos, entre eles Augusto dos Anjos, José Américo de Almeida, José Lins do Rêgo, Ariano Suassuna e Celso Furtado. “Se não fosse o estímulo dos amigos eu jamais teria me candidato pois me questionava se estava à altura dos acadêmicos”, admitiu.

Roberto Cavalcanti homenageou o seu antecessor na cadeira 27, o cronista Carlos Romero: “Carlos era um encantador de leitores. Não é imortal apenas pela herança que deixou, mas por quem era, pela forma como vivia”. O ex-senador também saudou, no discurso, o seu principal concorrente na eleição, Germano Romero, filho de Carlos: “Registro a postura aguerrida do seu filho, Germano Romero”.

O mais recente integrante da APL foi saudado formalmente pelo acadêmico Astênio Fernandes, que proferiu um discurso intitulado de “Construtor de Sonhos”. “Concretiza-se a sua grande esperança onírica. Notável será o convívio. Achegue-se Roberto”, exortou Fernandes.

MaisPB

Certificado digital mais barato para advogados e contadores Clique e saiba como adquirir

Leia Também