João Pessoa, 04 de maio de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Odilon Fernandes – advogado, escritor, professor e procurador federal aposentado.

Meus netos, além da imaginação

Comentários:
publicado em 04/05/2018 às 17h57
atualizado em 13/05/2018 às 07h46

 

CHIFRE INVISÍVEL

Numa tarde com os sobrinhos na Marina, pedi ao funcionário que preparasse os coletes para as crianças brincarem na piscina. O funcionário respondeu que o pedido somente poderia ser atendido quando “Zezinho”, o outro funcionário, chegasse para o seu turno de trabalho. Lembrando-me do colega, indaguei: “E como vai Zezinho?”, ao que o colaborador respondeu: “Zézinho tá do mesmo jeito, doutor. E a mulher continua namorando todo mundo!”. Destaquei que desde quando conheci Zezinho, ele leva chifre… “Aquele ali tem chifre por todo canto!”. Rimos e encerramos o assunto.

À tarde, chega Zezinho e senta-se junto a mim para um dedo de prosa. Durante a conversa, Odilon Neto, com toda a sua inocência típica de crianças, se aproxima de Zezinho, olhando-o insistentemente como se procurasse por algo. Já incomodado, o colega perguntou à criança:

– “Odilonzinho, por que você olha tanto para mim? O que estás procurando?”.

Logo Odilon Neto respondeu:

– “Vovô disse que você tem chifre por todos os lados. Eu estou procurando há tempos, mas não vejo nenhum!”

NOSSO PRESIDENTE, NOSSO EXEMPLO!

Certa manhã estava ajudando Amanda com os seus deveres de casa, quando percebi que a pequena não demonstrava interesse nenhum pelos estudos e não queria sequer ler a matéria. Decidi, então, orientá-la e despertá-la para a importância dos estudos: “Amanda, você precisa estudar para ser alguém na vida. Você quer ser veterinária e, para isso, terá que estudar muito… só assim será uma profissional de sucesso!”. A pequena interviu: “mas vovó, eu não gosto de estudar! Eu não preciso! E eu não quero ser veterinária não!”. Surpresa, eu questionei: “Ué, e o que você será? Sem querer estudar, deve querer se tornar uma burrinha!” e ela retrucou com autoridade: “não, vovó! Eu quero ser Presidente da República!”. Diante da resposta inesperada, voltei a insistir, desta vez dando ainda mais ênfase ao sermão: “ah, minha querida, aí é que você precisa estudar mesmo! Você terá que representar seu país no exterior, tem que estudar ainda mais do que você pensa!” e, logo, de imediato, a esperta Amanda disse: “Não vovó, eu não preciso… a senhora está enganada! Veja o Lula, ele é presidente e nunca estudou! Fala até errado!”.

ODILON DE LIMA FERNANDES

ADVOGADO E JORNALISTA

Leia Também