João Pessoa, 20 de agosto de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Segundo turno

Comentários:
publicado em 27/07/2011 às 10h19
A- A+

Se mais na frente prosperarem as aspirações partidárias, a Oposição em João Pessoa está no rumo certo, a preço de hoje, por apostar suas fichas e esforços na provocação de um segundo turno na sucessão do prefeito Luciano Agra.

E por que os enxadristas acertam na estratégia? Se concentrarem numa única candidatura contra Agra, que leva a vantagem natural do cargo e conta com o apoio do Governo, a Oposição corre o risco de uma campanha plebiscitária, com um histórico recente de derrotas (Ruy Carneiro, João Gonçalves e Maranhão).

A tese da pulverização de postulações dá a oportunidade do eleitor pensar acima da briga entre o grupo de Ricardo e os opositores que hoje querem tomar o poder. Além do fator psicológico de uma nova etapa da disputa abrindo perspectiva de virada.

A própria história política pessoense recente mostra que já faz tempo do registro de uma partida com etapa complementar nesse jogo político. O último segundo turno se deu com o ingrediente da incursão do petista Luiz Couto na eleição de 1996, na qual Lúcia Braga e Cícero Lucena duelaram para ao final o “caboclinho” vencer.

Antes, em 1992, a disputa se deu entre Chico Franca, Deslomar Mendonça e outro petista, Chico Lopes. No segundo turno, o confronto foi entre os dois chicos. E o Franca, com mais estrutura partidária e apoios, saiu vencedor. Vai ver que é este papel – peça indutora de segundo turno – que a ala defensora da candidatura do PT vislumbra.

Na universidade – 
Donos da Construtora STC, de João Pessoa, denunciaram suposto esquema dentro da Prefeitura da UFPB para prejudicar empreiteiras.

Entrave –
Eles teriam sido impedidos de iniciar as obras devido ao não repasse da cópia do contrato. Culpam o prefeito Alessandro Diniz.

O pulmão de Ronaldo –
Aos 75 anos, o poeta Ronaldo Cunha Lima enfrentará mais uma jornada hospitalar. Após o AVC que lhe colocou na cadeira de rodas, o líder do clã Cunha Lima, internado no Hospital Sírio Libanês, vai lutar contra um tumor no pulmão. O ex-governador Cássio acompanha o pai e está confiante. “Há amplas chances de cura”.

Uma decisão doce… –
O Tribunal Regional Eleitoral reconheceu o exagero de ter cassado o prefeito de Picuí, Buba Germano, baseado apenas em irregularidades nas contas de campanha do candidato reeleito. “Foi feita Justiça”, comemorou Buba ao saber da notícia.

… Num dia amargo –
Mas nem tudo são flores. Ontem mesmo, o vereador Olivânio Dantas (PT) anunciou uma queixa-crime contra o prefeito de Picuí, a quem acusa de tentativa de agressão física. O fato teria se dado após o vereador denunciar Buba numa rádio local.

Via Cícero I –
Ao Correio da Manhã (rádio), em Campina, o prefeito Veneziano Vital admitiu chance de aliança do PMDB com o PSDB em 2012 e 2014.

Via Cícero II –
Antes, o senador Vital Filho advogou crença que o senador Cícero convencerá Cássio a apoiar candidatura própria do PSDB em João Pessoa.

Na boa –
O prefeito da pequena de Itapororoca tem 198 assessores, o que talvez explique porque Erilson Rodrigues não tem pressa de nova eleição.

Curiosidade –
O Manaíra Shopping pertence a João Pessoa, mas a Casa de Shows Domus Hall, no mesmo prédio, está situada no município de Cabedelo.

Oxigenação –
As principais forças de Bayeux começam a absorver a tese de uma candidatura nova. Até o prefeito Jota Júnior (PMDB) tem pensado no assunto.

Senha –
Do deputado Domiciano Cabral (DEM), interessado no tema: “Tudo será resolvido em consenso com o governador Ricardo Coutinho”.

Revolução de 2011 –
O vereador Fernando Milanez (PMDB), parente de João Pessoa, quase deflagrou nova insurreição por conta da antecipação do ponto facultativo.

Recado –
“Ninguém apaga a história. Mas na Paraíba isso pode. Até um determinado tempo”, criticou Milanez transferindo o fato ao governador.

Devolução –
E ouviu o que não queria do vice-governador Rômulo Gouveia. “Não se deve usar desse momento como palanque para diminuir a homenagem”.

Quem vai pro front? –
Hoje nos debates da Acadepol, o governador saberá se a reunião de ontem, olho no olho, com a bancada, atingiu o objetivo desejado.

PINGO QUENTE – “A reforma política anda a passos de tartaruga”. Do deputado Efraim Filho (DEM) sobre o freio de mão puxado do Congresso, desinteressado em cortar na própria carne, mesmo já quase podre.

*Reprodução do Correio da Paraíba
 

Leia Também