João Pessoa, 20 de setembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Salvem a história do Centro!

Comentários:
publicado em 21/08/2011 às 07h46

Os “Apaixonados por João Pessoa” voltam à coluna deste domingo. Dessa vez, quem nos escreve é o engenheiro Sérgio Almeida (sergioalmeidajp@hotmail.com), que como tantos filhos desta cidade quer ver João Pessoa cada vez melhor hoje e amanhã.

Sérgio viu em Petropólis (RJ) um modelo administrativo que poderia se encaixar perfeitamente para salvar nosso combalido e deteriorado Centro Histórico. Lá, quem atrasa o IPTU ou abandona o prédio sofre severa “punição”.

Nos casos de inadimplência ou falta de interesse do dono pelo imóvel, a Prefeitura não espera que a edificação desabe ou enfeie as ruas do acervo arquitetônico da cidade. Desapropria a edificação e coloca o bem em leilão público.

Mas o poder público municipal tem a preocupação de não somente trocar o prédio histórico de proprietário. Quem arremata os centenários casarões assume a responsabilidade da restauração e preservação das raridades de cal e pedra.

Devotado pessoense, Sérgio sugere o mesmo em João Pessoa com o envolvimento do Conselho de Arquitetura e órgãos de proteção ao patrimônio histórico na redestinação desses prédios, antes que nossa cidade perca parte de suas referências.

O próprio Sérgio, ex-presidente do Crea, acha possível fazer do auditório da instituição ou do Sindicato dos Engenheiros um centro de discussão de todos os filhos da terra preocupados com a situação e interessados em manter vivas nossas raízes.

Otimista, o engenheiro acredita que o prefeito Agra, profissional da arquitetura, pode e deve ser um entusiasta da idéia. Da minha parte, resta torcer que a sugestão não se apague neste papel, mas fique impressa na mente de quem de direito.

Numerologia –
O presidente estadual do PT, Rodrigo Soares, recorreu à superstição para defender a candidatura própria. “A cada 10 anos surge um novo desafio ao PT”.

Baú –
Soares recordou da eleição de 92 na Capital, quando Chico Lopes levou o PT ao 2º turno, e da candidatura própria ao Governo em 2002. Chegou 2012.

Violência na orla, revitalização e pacificação
O médico Lauro Wanderley Filho (vlwanderley@uol.com.br) opina pela inclusão de uma Unidade de Polícia Pacificadora no projeto de revitalização do bairro São José. “Separaria o joio do trigo, e, faria com que o cidadão de bem fosse contemplado com maior segurança, não só no interior do São José, bem como nas regiões circunvizinhas”.

Esperança e crença nos gestores –
“Com certeza, a presença do estado se faz necessária naquele local. Pelo que conheço de Ricardo Coutinho e Luciano Agra, a UPP será com certeza implantada”, exclamou o cardiologista pessoense, visionário de uma João Pessoa de paz para todos.

No aniversário –
Conforme flagrante do blogueiro Dércio Alcantara, o presidente do Aeroclube, Rômulo Carvalho, fez questão de pousar para fotos com o primeiríssimo time da Oposição em João Pessoa: Manoel Júnior, Maranhão e Cícero Lucena. Escancarou geral.

Milagre –
A ociosidade tem feito mal aos neurônios do ex-deputado Nivaldo Manoel (PMDB). Acha que é o melhor nome para ser vice do senador Cícero Lucena.

Haja fé –
Caso o PMDB tenha candidato próprio, Nivaldo já começou a orar pela filha tucana Eliza Virgínia como vice de Zé Maranhão. Mais crente, impossível.

Rendendo –
A leitora que se assina Cacilda Maya (tatymaya4@hotmail.com) mete a colher na polêmica do moinho afiado de sonegação do Grupo São Braz.

Risco –
“Depois de ler o desabafo do ex-motorista do São Braz, Jonas Pereira, aconselho que ele procure com urgência o Programa de Proteção às Testemunhas do FBI”.

Exílio –
E continua: “Somente eles poderão levá-lo a outro país, com nova residência, novos documentos, novo trabalho e, se possível ir para algum lugar…”.

Adoçante –
“… Onde não se fale a língua portuguesa. Cautela e canja de galinha não fazem mal”, finaliza a implacável Cacilda, sem receitar um revigorante cafezinho.

Esperança –
Os mais ortodoxos e porta-vozes maranhistas apostam no rompimento de Cássio e Ricardo como sendo a única chance do PMDB voltar ao Governo.

Suspense –
Enquanto os vereadores se preparavam para a posse de Vera Lucena, para a surpresa geral o tucano Hervázio Bezerra perguntou. “Quem matou Norma”?

Antenado –
O presidente da Câmara de Sousa, Cacá Gadelha, já contactou uma agência de marketing para cuidar de sua imagem, antes de 2012 chegar.

Atropelando –
Mesmo sabendo que Manoel Júnior está melhor postado no PMDB, o deputado Benjamim Maranhão ainda insiste que o próprio nome no páreo.

PINGO QUENTE – “Meu pai não é aluno dele”. Do deputado Wilson Filho (PMDB), em defesa do pai, Wilson Santiago, acusado por Cássio de ser um professor em matéria de procrastinação na Justiça.

*Reprodução do Jornal Correio da Paraíba

Leia Também