João Pessoa, 16 de dezembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Efraim tem chance?

Comentários:
publicado em 18/01/2010 às 22h28

O senador Efraim Morais (DEM) tomou novo fôlego ao começar a colar sua imagem ao prefeito de João Pessoa e pré-candidato ao Governo, Ricardo Coutinho (PSB).

O democrata vinha sufocado por denúncias ininterruptas na mídia nacional. No centro do furacão, Efraim amargou desgaste das menções em vários escândalos envolvendo a Mesa do Senado.

Para quem parecia “pato morto”, Efraim levantou da queda, bateu a poeira e mostrou que está mais vivo do que nunca.

Saiu do isolamento ou dos baixos índices da candidatura de Cícero para surfar na “onda do mago”.

Efraim imagina que pode ser beneficiado numa chapa iminente com Cássio Cunha Lima e Ricardo.

Se há seis meses as chances do filho de Santa Luzia eram poucas, 2010 nasce para o senador com um sol de esperança.

Voto no interior ele tem para oferecer a Ricardo. Resta saber se a associação de seu nome ao girassol socialista é o suficiente para carimbar novo passaporte ao Senado.

Pelo sim pelo não, Efraim ganhou nova musculatura para entrar no embate em pé de igualdade com os prováveis adversários.

Vice

Foi no bar Marujo, na bonita praia de Costinha, em Lucena, que um empresário paraibano confessou ao jornalista Gutemberg Cardoso um dilema a ser enfrentado: tem sido assediado para aceitar ser vice de Ricardo Coutinho (PSB). E ele não é do PTB.

Flagra

Na bíblia, o personagem Nabal, descendente de Calebe, ficou conhecido pela dureza e insensatez. O Nabal do PT, candidato derrotado no PED passado, é bem mais flexível que o seu chará histórico. Ele foi visto em demorada e reservada conversa com o secretário de representação em Brasília, Anselmo Castilho (PT). Sobre relatos bíblicos certamente não discutiam.

Cartaxo sobra

Dificilmente Luciano Cartaxo (PT) se segurará como candidato a vice na chapa do PMDB. Os peemedebistas já admitem internamente que Maranhão precisa de um nome que agregue. Sobraria ao PT uma vaga ao Senado. Quem topa? Cartaxo deve preparar um plano B.