João Pessoa, 14 de maio de 2012 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
DEU NA ‘ÉPOCA’

Época classifica como ‘impressionante’ saga de artista paraibana

Comentários:
publicado em 14/05/2012 às 10h26
A- A+

A soprano paraibana Isabel Barbosa volta ao Brasil depois de 10 anos na Itália para uma série de apresentações e para gravar cenas do documentário Isabel Barbosa — Voz de Esperança, sobre sua trajetória. De família humilde, ela nasceu em Esperança, agreste paraibano, e foi adotada ainda bebê por uma família em João Pessoa. “Tinha 11 irmãos e o desejo da mãe era que um deles estudasse música, mas nenhum acatou. Aos cinco anos, comecei a estudar piano, depois violino e canto”, conta Isabel, que aos 26 voltou à cidade natal e conheceu a mãe biológica.

“O povo contou que minha mãe cantava dia e noite. Meus olhos se encheram de lágrimas e eu agradeci a Deus por ter recebido o mesmo dom”, diz Isabel, que se apresenta no dia 17 no Espaço Cultural Cine Bangüê, em João Pessoa, e no dia 21 na Sala Memorial Severino Cabral, em Campina Grande. “Cheguei sozinha a Florença carregando cinco malas. Parecia uma nordestina chegando ao Rio. Fui garçonete, cuidei de idosos e fui babá”, diz.

A cantora é modesta e, mesmo dividindo o palco com cantores como Anna Netrebko, Marcelo Alvarez, Dmitri Hvorostovsky, e do barítono alemão Johannes Martin Kranzle, diz que mantém o sotaque nordestino: “Não perco de jeito nenhum a expressão óxente!, e sou a personificação daquela história que diz que mulher paraibana é mulher macho, sim senhor. Minha origem é humilde e isso me deixa com os pés no chão”.

Época Online

error: Alerta: Conteúdo Protegido !!