João Pessoa, 10 de fevereiro de 2021 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
'Passatempo Encantado'

Pacientes de Manaus com Covid-19 recebem material lúdico

Comentários:
publicado em 10/02/2021 às 10h09
atualizado em 10/02/2021 às 07h10
A- A+

Para dar as boas-vindas e recepcionar de forma humanizada os sete pacientes de Manaus com Covid-19, a Unidade de Atenção Psicossocial do Hospital Universitário Alcides Carneiro, em Campina Grande, elaborou um material impresso intitulado “Passatempo Encantado” para cada um dos pacientes.

O livreto foi inspirado em um material produzido pela equipe de psicologia de um hospital particular de Fortaleza, mas a versão paraibana conta com elementos bem característicos, como o cordel e a xilogravura. Assim, a publicação é iniciada com um cordel de Magna Fernandes, poetisa e cordelista potiguar, que produziu os versos especificamente para a ocasião.

Em seguida, consta um espaço para que os pacientes possam escrever sobre seus sentimentos. Esse campo foi ofertado como forma de dirimir os impactos psicológicos dessa situação. Eles podem escrever para os familiares, bem como fazerem anotações sobre suas emoções, um importante recurso no enfrentamento do distanciamento familiar e do período de hospitalização.

Além disso, o livro contém inúmeros jogos e atividades como caça-palavras e desenhos para colorir. O material é finalizado com um cordel de despedida, de composição da assistente social Kalline Pinheiro, fazendo referência ao processo futuro de alta hospitalar e retorno para casa desses pacientes.

Dayla Gomes é assistente social em Manaus e precisou vir para Campina Grande para receber o tratamento adequado para a covid-19. Ela falou sobre como foi receber o livro ao chegar no HUAC.

“Sabe, não preciso ir a fundo pois creio que viram a situação como cheguei! Depois me deram o bloquinho, e fui ver, no final, a mensagem, claro que me emocionei muito, mas me senti acolhida ao mesmo tempo. Pode até parecer um gesto normal ou simples, mas isso ajuda, uma palavra positiva transmitida a qualquer pessoa em uma situação muito vulnerável, é sempre bem-vinda, funciona como um estímulo, uma força a mais! Aliás me senti acolhida e mais segura com toda recepção”, afirmou.

A chefe da Unidade de Atenção Psicossocial, Lindecy Costa, explicou que o principal objetivo da elaboração do material é exatamente esse, fazer com que os pacientes se sintam acolhidos.

“Desde o momento que ficamos sabendo que os pacientes iriam chegar, veio a nossa preocupação para que eles se sentissem acolhidos, para que eles vissem que não estavam sozinhos. Eles estavam em uma realidade muito difícil e optaram por vir para Campina Grande, então estamos fazemos de tudo para que eles se sintam acolhidos, amados, respeitados, cuidados e que saibam que não estão sós”, disse.

Dayla ainda agradeceu aos profissionais do hospital pelos cuidados recebidos. “Eu agradeço a Deus primeiro, claro, por ter nos encaminhado a esse local, estou longe da família que tanto amo, mas como falaram que iriam cuidar de todos nós, assim confiei! Imensamente grata estou com o apoio, em todos os sentidos! Obrigada aos médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, técnicos de enfermagem, psicólogos, assistentes sociais, funcionários da limpeza, a Direção do Hospital. Continuem conosco! Vamos conseguir, agora estou com mais forças! ”

Os pacientes estão sendo acompanhados por uma equipe multiprofissional para que possam receber a melhor assistência possível.

MaisPB

error: Alerta: Conteúdo Protegido !!