João Pessoa, 11 de dezembro de 2019 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
maistv

Texto da Previdência volta a ser adiado na CCJ da AL

Comentários:
publicado em 11/12/2019 às 10h30
atualizado em 11/12/2019 às 09h48
A- A+
Foto: Wallison Bezerra/MaisPB

A apreciação do Projeto de Lei Complementar (PLC) que altera o regime previdenciário no Estado foi mais uma vez adiado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB).

Leia também: Oposição à reforma da PBprev une bolsonaristas e ricardistas na Paraíba

Após o pedido de vistas da deputada estadual Camila Toscano (PSDB), na sessão de ontem (10), os deputados voltaram a se reunir, na manhã desta quarta-feira (11), mas uma nova solicitação, agora do deputado Walber Virgolino (Patriota), adiou a votação. O clima foi acirrado com discussões ásperas entre situação e oposição.

A deputada de oposição, Camila Toscano (PSDB), acusou o governo de tentar aprovar uma reforma em 48 horas e considerou o governador João Azevêdo (sem partido), em sua análise, mais ditador que o do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB).

“Lamento por ser obrigado a trazer um voto de uma Previdência em menos de 48 horas, lamento ter saído ontem às seis horas da noite e às oito de hoje tem que estar aqui. Lamento o mal que o governo tenta fazer ao servidor público e a quebra do nosso regimento. Só faço lamentar. Se achávamos que havia um governo ditador é porque não sabíamos o que estaria por vir”, disse a tucana em alusão aos oito anos de governo de Ricardo Coutinho.

O líder da situação, deputado Ricardo Barbosa (PSB), disse que não teme que a matéria não seja votada ainda este ano, como planeja o governo. “Há possibilidade, mas não temos temor nenhum. Estamos trabalhando para que passe na CCJ e seja votado em plenário”, afirmou.

Veja vídeo 

MaisPB

error: Alerta: Conteúdo Protegido !!