João Pessoa, 22 de março de 2019 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
MAISTV

Intimidação à testemunha causou prisão de Santiago, diz delegado

Comentários:
publicado em 22/03/2019 às 11h12
atualizado em 22/03/2019 às 18h52
Foto: Albemar Santos/MaisPB

A suspeita de cooptação de uma testemunha para não prestar depoimento no bojo da operação ‘Xeque-Mate’ foi um dos fatores que motivou a prisão do empresário Roberto Santiago, ocorrida nesta sexta-feira (22), em João Pessoa.

A informação foi repassada pelo delegado da Polícia Federal, Fabiano Emídio, durante entrevista à imprensa. Santiago teria enviado mensagens a testemunhas para evitar uma possível delação sobre o esquema criminoso, o que motivou a emissão da medida cautelar.

A testemunha em questão procurou a PF para relatar pedido para que não revelasse detalhe o esquema. A suposta intimidação somada a um conjunto de prova fez com que a justiça decretasse a prisão.

Emídio ressalta que a prisão do empresário está profundamente embasada na legislação e acrescenta que ele utilizava a máquina da prefeitura em benefício próprio desde a assunção de Leto Viana, preso na operação, ao comando do Poder Executivo municipal.

“Há fortes indícios de que ele negociava em benefício próprio o contrato de lixo”, frisou o delegado. Santiago é apontado como integrante do braço financeira do que a PF considera uma organização criminosa que fraudava licitações por meio de direcionamento.

Conforme o delegado, já pesam cinco denúncias contra Santiago. Acompanhado por um advogado, o empresário já prestou depoimento e passa por audiência de custódia no Fórum Criminal de João Pessoa.

MaisPB

Certificado digital mais barato para advogados e contadores Clique e saiba como adquirir

Leia Também