João Pessoa, 21 de agosto de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
na Espanha

Homem é morto por policiais ao atacar delegacia

Comentários:
publicado em 21/08/2018 às 10h45

O homem que foi morto a tiros ao tentar esfaquear policiais na segunda-feira (20), na cidade de Cornella Llobregat, na Espanha, estava se separando e passava por uma crise emocional, segundo afirmou o seu advogado ao jornal “La Vanguardia”.

David Martinez negou nesta terça-feira (21) que o argelino Abdelouahab Taib, de 29 anos, fosse um terrorista. “Ele era um bom muçulmano que passava por um mau momento emocional”, declarou o advogado ao periódico espanhol.

Ele e a esposa decidiram se separar há dois meses e tinham assinado o divórcio de comum acordo na terça-feira (14). Taib se preparava para deixar a casa onde moravam nos próximos dias.

A ex-mulher, identificada apenas como Luciana, afirmou à polícia que Taib ameaçava se matar. De acordo com Luciana, ele declarou ser homossexual e sentiu “vergonha” por isso já que a sua religião não aceita sua orientação sexual.

As autoridades tratam o caso como terrorismo. Rafel Comes, responsável pela divisão antiterrorista, afirmou que o agressor tinha “claramente” vontade de matar a policial e que “mencionava Alá e outras expressões que não puderam ser identificadas” ao entrar no estabelecimento.

O advogado de Taib defende que a conduta da polícia seja investigada. Para ele, a reação com tiros não é “justificável”, porque Taib estava armado “apenas com uma faca”.

As investigações apontaram que Taib não tinha antecedentes criminais e, até o momento, indicam que ele agiu sozinho. Em sua casa, não foram encontrados indícios de que teria algum vínculo com movimentos extremistas.

G1

Certificado digital mais barato para advogados e contadores Clique e saiba como adquirir

Leia Também