João Pessoa, 21 de outubro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
‘INVEJA MATA’

RC defende helicóptero e diz que Cássio sequer comprou baleadeira

Comentários:
publicado em 25/09/2014 às 10h33

Candidato à reeleição, o governador Ricardo Coutinho (PSB) voltou a criticar o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), após a polêmica da compra de um helicóptero pelo Governo do Estado. Para o socialista, o senador tucano – candidato ao Governo do Estado – não investiu nada em segurança pública quando assumiu o cargo de governador.

Em sua página no Twitter, Ricardo Coutinho defendeu a compra do helicóptero e lamentou o ‘nível do debate’. Disse que Cássio nunca comprou sequer uma ‘baleadeira’ para os policiais paraibanos quando de sua gestão e sugeriu que o tucano está com inveja.

A postagem foi a seguinte: “Mais um ‘debate’ cujo nível é lamentavel. Até um helicóptero é combatido por quem não comprou nem uma baleadeira, qdo governou. Inveja mata”.

Segunda-feira passada, Cássio Cunha Lima acusou o governo do estado de fazer a aquisição superfaturada do helicóptero que foi entregue à segurança da Paraíba. “O Estado comprou um helicóptero, com três anos de uso e com mais de 600 horas de vôos, por R$ 9 milhões, o que demonstrou que foi uma compra superfaturada, quando um aparelho novo custa em média R$ 7 milhões. O governador não justificou a compra e disse que o seu compromisso era com a Segurança Pública e argumentou que não lhe interessava quem tinha ganho a concorrência feita pelo estado e se esquivou da resposta dizendo que não dirigia concorrência”, disse a coligação sobre o questionamento que o tucano fez ao socialista durante debate.

O Governo do Estado divulgou nota, na terça-feira (23), rebatendo a denúncia de que a compra teria sido superfaturada. Segundo a denúncia, o Estado comprou o equipamento usado por R$ 9 milhões, quando uma nova custa em média R$ 7 milhões. Na nota, a secretaria nega qualquer tipo de irregularidade e classificou de irresponsável a denúncia.

Com relação ao valor, a secretaria destaca que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) apontou “que o valor final do helicóptero adquirido pelo Governo do Estado não pode ser comparado com o valor de uma aeronave, como tem sido feito irresponsavelmente, sem que se leve em consideração a inclusão de despesas com importação, pelas quais, por Lei, o licitante é responsável por todas as taxas de seguro, transporte, e outros encargos até a entrega do produto”.

Relatório de uma auditoria do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) aponta que houve irregularidades no processo de compra de duas aeronaves pelo Gabinete Militar do Governador, uma delas um helicóptero para uso da Polícia Militar. A auditoria listou pelo menos nove irregularidades no Pregão Presencial nº 37/13, a exemplo da falta de parecer jurídico acerca da licitação e comparativo de preços para a aquisição das aeronaves. “Não há parecer jurídico acerca da verificação se os atos do processo licitatório estão amparados pelos requisitos legais”, destaca o documento.

No entanto, apesar do relatório do TCE-PB, o secretário estadual de Comunicação, Luís Tôrres (foto), em contato com o Portal MaisPB classificou de “desespero” as denúncias de irregularidades na compra do equipamento. Segundo ele, só “os bandidos não aprovam a compra”. “O povo de bem da Paraíba adotou o helicóptero, só os bandidos o temem”, afirmou.

Jãmarrí Nogueira – MaisPB

Leia Também