João Pessoa, 22 de outubro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Cícero não abre

Comentários:
publicado em 03/05/2011 às 09h43

Se quiser a presidência do PSDB da Paraíba, o ex-governador Cássio Cunha Lima terá pela frente um Cícero Lucena disposto a brigar até as últimas conseqüências pelo comando partidário. Um minuto de conversa com o senador tucano é suficiente para perceber a que ponto chegou o clima de acirramento nas relações dos dois.

Embora ainda prefira a diplomacia, mais reservadamente Cícero considera uma “sacanagem” a expressa intenção do ex-governador arrebatar a presidência estadual da legenda de suas mãos. O “caboclinho” vê nessa operação uma tentativa de alijá-lo completamente do processo político paraibano.

O senador analisa mais ou menos assim. Cássio deve assumir em breve o Senado, vai ficar com mandato garantido por oito anos. Se abocanhar a direção do PSDB terá mandato, poder e controle partidário. “E eu vou ficar sem nada”, raciocina Cícero Lucena em forma de reflexão política.

E é essa análise que lhe faz concluir que deve brigar até o fim, sem abrir mão do último trunfo que lhe resta para não ficar inteiramente refém da liderança de Cássio. Por isso, o senador vai empurrar essa solução para depois de 2012. Acha que Cássio erra ao tentar tirá-lo do páreo por abrir mão de uma “espada” na cabeça de Ricardo Coutinho.

A depender de Cícero, Cássio encontrará bola de gude e óleo diesel no caminho se quiser a presidência tucana e só conquistará seu desejo via direção nacional ou pelo voto em convenção. Jamais por acordo, boa vontade ou concessão do “ex-irmão”.

Dois pesos –
Em público, Cícero diz que conseguiu preservar a amizade com Cássio, apesar de 2010, mas não perdoa o amigo Hervázio Bezerra que pegou o “cavalo selado” de deputado.

Aberto –
Ao Correio Debate (rádio), o senador tucano deixou margem para aliança com o PMDB nas eleições municipais de João Pessoa. Lauremília Lucena seria a opção para compor.

A leitura de Maranhão –
Fonte de trânsito livre com o ex-governador José Maranhão captou. O peemedebista trabalha em primeiro plano com a tese de sua própria candidatura em João Pessoa. Aposta em três postulações na disputa de 2012. Uma do PMDB, outra do PT e a do prefeito Luciano Agra à reeleição. Não vê o PSDB no páreo.

Contra a contraproposta? –
Ainda não está claro porque, apesar do Governo ter acatado contraproposta de criação de bolsa de R$ 230, o Sindicato dos Professores decidiu deflagrar greve. Ficou estranho, a menos que uma força superior levou os sindicalistas a mudarem de idéia.

Infeliz coincidência –
A decisão do Ministério da Saúde bloquear recursos da Prefeitura de Campina por irregularidades no sistema de dados da mortalidade não poderia vir em pior momento. Logo poucos dias após Ricardo Coutinho questionar os números da saúde…

Cautela –
O prefeito de Campina, Veneziano Vital, evita falar em sucessão municipal e guarda articulações em segredo. “Não é hora de falar em política e nem projetar nomes”.

Amálgama –
O ex-deputado estadual Ivaldo Moraes (PMDB) assumiu ontem a chefia de gabinete de Campina. Odontólogo, Ivaldo pode obturar eventuais problemas nas relações políticas.

Míssil –
Na fase em que o diálogo pode ajudar a resolver a greve, o presidente do Sindicato dos Professores, Antônio Arruda, manda o petardo: “O secretário caiu de pára-quedas”.

Embate de líderes I – Diálogo pouco amistoso na sessão da CCJ da Câmara de João Pessoa ontem. De Fernando Milanez para Bruno Farias. “Aí de vossa excelência se eu pegar tanto assim”.

Embate de líderes II –
Resposta do líder do Governo para o líder da Oposição a ameaça. “Ai de vossa excelência o quê? Não me venha com o dedo em riste dizer isso. Ai nada. Ai nada”.

Metamorfose –
Bastou uma conversa com Maranhão para Mangueira mudar. Agora, ele quer o ex-governador como candidato em João Pessoa. Sexta-feira defendia Manoel Júnior.

Reflexão –
Um vereador e dois suplentes de João Pessoa já assinaram fichas de inscrição e devem participar neste final de semana de um retiro cristão no litoral sul paraibano.

Na agulha –
Setores da Oposição preparam projeto de comunicação, que inclui portal de notícias, semanário, programa de rádio e canal de tv fechado. Já a começaram a captar recursos.

Banho Maria –
O senador Wilson Santiago (PMDB) sabe que não há chance de sua tese prosperar no Supremo, mas aposta que pode ser contemplado com até um ano no lugar de Cássio.

Radicalismo –
Enquanto as autoridades americanas garantem que Bin Laden foi abatido, aqui na Paraíba os extremistas e radicais da política continuam bem vivos e espalhando terror.

PINGO QUENTE – “Quem duvidar do cachorro é só pular na sede do PSDB à noite”. Do senador Cícero Lucena garantindo que o cão de guarda contratado pelo PSDB existe. E morde!

 

Leia Também