João Pessoa, 13 de dezembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
SANTA CATARINA

Sede do governo de SC é alvo de tiros; já são 52 ataques no Estado

Comentários:
publicado em 02/10/2014 às 17h04

Prédios públicos, veículos e casas de agentes de segurança voltaram a ser atingidos no sexto dia de ataques em Santa Catarina. Esta foi a noite mais violenta desde o início das ocorrências. Na madrugada desta quinta-feira (2), a sede do governo do Estado foi alvo dos criminosos. Uma das guaritas do centro administrativo foi alvejada com cinco tiros. Um policial militar estava no local, mas não foi atingido. O crime foi cometido por dois homens em uma moto.

De acordo com o último balanço da PM (Polícia Militar), desde a última sexta-feira (26), foram registrados 52 ataques em 21 cidades. A capital foi o alvo preferido dos criminosos, com dez ocorrências. Até agora, 29 pessoas foram detidas, entre elas dez adolescentes.

Só entre a noite de quarta-feira (1º) e a madrugada desta quinta-feira, foram registrados 15 ataques, já incluindo o ataque à sede do governo.

Por volta das 22h30 de quarta-feira, bandidos jogaram um coquetel molotov em um caminhão dentro do pátio da subprefeitura de Itajaí. Cerca de uma hora mais cedo, quatro homens em duas motos atiraram em uma base da PM em Joinville. As casas de quatro agentes de segurança foram atacadas a tiros em Florianópolis, São Francisco do Sul e Palhoça, entre a noite e a madrugada.

Quatro ônibus foram incendiados em Campos Novos, Blumenau, Criciúma e Itajaí. Dois carros que estavam no pátio do Fórum de Camboriú também foram queimados. Um homem foi preso suspeito do crime. Criminosos colocaram fogo em outros dois automóveis em Balneário Rincão e São Francisco do Sul.

O medo de novos ataques a ônibus motivou motoristas e cobradores a recolherem os veículos que atendem à parte da Grande Florianópolis entre as 19h de quarta-feira e as 6h desta quinta-feira. Uma nova reunião entre representantes do Sindicato dos Rodoviários, da cúpula da segurança pública estadual e do governo catarinense está prevista para esta tarde. Os participantes decidirão sobre a prestação do serviço de transporte público nos próximos dias.

Segundo a assessoria da Secretaria Estadual de Segurança Pública, há várias linhas de investigação. As hipóteses mais consistentes sugerem que os ataques podem ser uma resposta às recentes ações policiais para reprimir e combater o tráfico de drogas, principalmente na capital. De acordo com o secretário, só neste ano, já foram apreendidas cerca de três toneladas de drogas. A outra hipótese é de que os integrantes de duas facções criminosas que disputam o poder no Estado estejam agindo para demonstrar força e, assim, conquistar poder.

Onda de ataques

Esta é a terceira vez que uma onda de violência é registrada em Santa Catarina. Outros ataques aconteceram em 2012 e 2013, quando a PM registrou crimes a várias cidades catarinenses, a maioria contra ônibus e imóveis da segurança pública. Em maio deste ano, a Justiça condenou 80 pessoas pelas duas ondas de atentados criminosos.

R7

Leia Também